Ouça ao vivo
Ouça ao vivo
No ar agora

A história de A Praieira, no aniversário de Chico Science

Lívia Nolla
10:00 13.03.2024
Brasilidade

A história de A Praieira, no aniversário de Chico Science

Se não tivesse nos deixado inesperadamente no dia 02 de fevereiro de 1997 –  vítima de um acidente de carro, com apenas 30 anos de idade – um dos maiores nomes da música popular brasileira de todos os tempos, Chico Science, estaria completando 58 anos no dia de hoje. E, para homenagear … Continued

Lívia Nolla - 13.03.2024 - 10:00
A história de A Praieira, no aniversário de Chico Science
Chico Science | Foto: Divulgação

por Lívia Nolla

Se não tivesse nos deixado inesperadamente no dia 02 de fevereiro de 1997 –  vítima de um acidente de carro, com apenas 30 anos de idade – um dos maiores nomes da música popular brasileira de todos os tempos, Chico Science, estaria completando 58 anos no dia de hoje.

E, para homenagear o aniversariante do dia e seguir homenageando grandes compositores da nossa música popular brasileira, nós damos continuidade à série Saudando Grandes Compositores da MPB, em que contamos a história de grandes clássicos das carreiras desses artistas.

Chico Science | Foto: Divulgação
Chico Science | Foto: Divulgação

 

Sobre Chico Science

O cantor e compositor pernambucano, nascido em Olinda – em 1966 – com o nome de Francisco de Assis França (o Science entrou como nome artístico porque ele sempre gostou de mexer com a alquimia dos sons, como um cientista), cresceu ouvindo ritmos nordestinos como coco, ciranda, maracatu e embolada, mas também gostava muito de rock, hip-hop (fez parte de um dos principais grupos de dança de rua do Recife), jazz e soul music americana (uma das suas maiores influências era James Brown).

Foi dessa mistura que surgiu, em 1991, a banda Chico Science & Nação Zumbi – da qual ele era líder – e que fazia um som revolucionário, com canções energéticas, muito bem elaboradas, que mesclavam funk rock com maracatu, embolada, psicodelia e música Afro.

Com a banda, Science lançou dois álbuns que conquistaram Disco de Ouro: Da Lama ao Caos (de 1994, considerado pela revista Rolling Stone Brasil o 13º melhor disco brasileiro de todos os tempos) e Afrociberdelia (de 1996, que também entrou para  lista dos 100 melhores discos da música brasileira de todos os tempos, na posição 18).

O Manguebeat

Chico Science foi também um dos principais colaboradores do movimento de contracultura  Manguebeat nos anos 90. O movimento – que teve início com o Manifesto Caranguejos com Cérebro, escrito por Science e Fred Zero Quatro (do grupo Mundo Livre S/A), em 1991 – além de trazer as inovações musicais já citadas, também preza pela valorização das culturas regionais nordestinas, pelo desenvolvimento de um senso local de identidade própria para a criação de melhores condições de vida da população da região e pelo estado de conservação do manguezal e sua melhor exploração.

O Manguebeat é representado por um caranguejo – animal típico dos mangues e fonte de alimentação para as comunidades locais – e também por uma antena parabólica na lama, que mostra – além presença da tecnologia como marca do movimento – que os caranguejos presentes no manguezal estavam antenados com tudo que acontecia ali. O grupo se identifica com o movimento estético afrofuturismo, que une elementos africanos e ficção científica, e influenciou uma geração de artistas que veio depois.

Depois da morte de Chico Science, a banda Nação Zumbi (que segue firme até os dias de hoje) lançou um disco em homenagem ao artista: o CSNZ, de 1998. É um álbum duplo com canções inéditas de estúdio, gravadas ao vivo com Chico e remixagens das suas músicas segundo visões de nomes como David Byrne e Arto Lindsay. No final, há ainda uma canção feita especialmente para Science, pelo pelo músico inglês Goldie: Chico – Death of a Rockstar.

Também depois de sua morte, Chico Science ganhou algumas homenagens pelas ruas de Recife: além de um Memorial formado por três salas, que conta a sua história, há uma estátua sua na Rua da Moeda, no Recife Antigo, e um caranguejo metálico gigante na Rua Aurora, onde morou.

Chico Science criou movimento manguebeat na década de 1990(Foto: Tasso Marcelo/Estadão Conteúdo/Arquivo)
Chico Science criou movimento manguebeat na década de 1990
(Foto: Tasso Marcelo/Estadão Conteúdo/Arquivo)

Entre os maiores sucessos do compositor, estão as canções:

E, para homenagear Chico Science nesta data especial, vamos contar a história de um de seus maiores sucessos: A Praieira.

A história de A Praieira

A canção A Praieira foi lançada por Chico Science & Nação Zumbi, em 1994, no primeiro álbum da banda, que levou o nome de Da Lama ao Caos e foi um disco manifesto que fundou oficialmente o movimento musical pernambucano conhecido como Manguebeat.

Uma ciranda com guitarras e baixo casados em riffs marcantes, com uma letra que avisa que “uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor”, a música A Praieira retoma uma das principais revoltas ocorridas no Brasil Colônia e faz referência a um episódio histórico importante da capital do estado de Pernambuco: a Revolução Praieira, que ocorreu em Recife, entre 1848 e 1849.

A Revolução Praieira foi um movimento de caráter liberal e republicano, liderado por intelectuais, comerciantes e artesãos, que buscavam a autonomia política da província de Pernambuco em relação ao governo central do Império Brasileiro.

O movimento foi inspirado pelas revoluções liberais ocorridas na Europa na primeira metade do século XIX, e foi apoiado por setores da elite pernambucana descontentes com o poder centralizado do governo imperial.

Na música, Chico Science exaltan a luta do povo pernambucano pela liberdade e pela autonomia política, e critica a opressão e a exploração do governo imperial.

A letra destaca a importância da cultura e da história da região para a luta pela emancipação política e social e é considerada um hino da resistência cultural e política do povo nordestino, se tornando um símbolo dessa luta por liberdade, autonomia e justiça social no Nordeste do Brasil.

E na praia é que se vê,
A areia melhor pra deitar
Vou dançar uma ciranda pra beber

Uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor

Você pode pisar onde quer
Que você se sente melhor
Na areia onde o mar chegou
A ciranda acabou de começar, e ela é!
E é praieira!!!
Segura bem forte a mão
E é praieira !!!
Vou lembrando a Revolução
Vou lembrando a Revolução
Mas há fronteiras nos jardins da razão

Chico Science | Foto: Divulgação
Chico Science | Foto: Divulgação

Gostou de saber mais sobre as histórias de grandes canções da nossa música popular brasileira? Continue acompanhando a nossa série Saudando Grandes Compositores da MPB. Hoje, homenageamos o aniversariante Chico Science.

Tags relacionadas

a praieira Chico Science compositor Curiosidades história da música Livia Nolla manguebeat MPB Música Brasileira musica popular brasileira Nação Zumbi Pernambuco Recife saudando Grandes Compositores da MPB
< Notícia Anterior

Feliz Aniversário - 487 anos de Recife!

12.03.2024 10:00
Feliz Aniversário - 487 anos de Recife!
Próxima Notícia >

Justiça pode determinar exumação de corpos de Gal Costa e Tim Maia; entenda

14.03.2024 17:33
Justiça pode determinar exumação de corpos de Gal Costa e Tim Maia; entenda
© 2024 - novabrasil - Todos os direitos reservados
Com inteligência e tecnologia: PYXYS - Reinventing Media Business