No dia de hoje, um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos faz 85 anos: Martinho da Vila!

Praticamente um patrimônio vivo cultural brasileiro, o cantor, instrumentista e compositor carioca transformou para sempre a história da cultura do nosso país com seu trabalho desenvolvido com o samba e tornou-se conhecido internacionalmente, levando o samba brasileiro para o mundo e sendo gravado por artistas nacionais e estrangeiros.

Praticamente um patrimônio vivo cultural brasileiro, Martinho da Vila | Foto: Walter Firmo / IMS.

12 fatos sobre a vida e obra de Martinho da Vila

E, para comemorar esta data tão especial, nós preparamos uma lista com 12 fatos sobre Martinho da Vila para vocês!

1 – Martinho da Vila formou-se Auxiliar de Químico Industrial, pelo SENAI

Nascido em Duas Barras e criado na Serra dos Pretos Forros – Boca do Mato, Lins de Vasconcelos, Rio de Janeiro – Martinho formou-se Auxiliar de Químico Industrial, pelo SENAIServiço Nacional de Aprendizagem Industrial.

2 – Seguiu carreira Militar e se formou em Contabilidade

Na juventude, alistou-se no Exército como voluntário – no Segundo Batalhão de Carros de Combate, destinado ao Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército – onde pretendia ser funcionário público, mas decidiu-se pela carreira militar. Foi cabo, sargento e cursou a Escola de Instrução Especializada, onde se formou em contabilidade. Exerceu funções burocráticas na Diretoria Geral de Engenharia e Comunicações, como escrevente-contador, e pediu baixa para se tornar cantor profissional.

Martinho da Vila (1973) | Foto: Correio da Manhã/Acervo Arquivo Nacional

3 – Martinho da Vila se tornou conhecido do grande público ao apresentar-se no III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record

O artista tornou-se conhecido do grande público em 1967, ao apresentar-se no III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, defendendo o partido-alto Menina Moça. No ano seguinte, na quarta edição do mesmo festival, lançou o clássico Casa de Bamba, seu primeiro grande sucesso, seguido de O Pequeno Burguês, em 1969.

4 – Seu primeiro álbum atingiu o primeiro lugar na parada musical do rádio

Em 1969, lançou o seu primeiro álbum – Martinho da Vila – que já trazia outros grandes sucessos, atingindo o primeiro lugar na parada musical radiofônica e o recorde de vendas daquele ano. Logo, consagrou-se como um dos artistas mais respeitados do Brasil, sambista do primeiro escalão, entre os maiores da música popular brasileira.

5 – Martinho da Vila consagrou-se como o primeiro sambista a ultrapassar a marca de um milhão de cópias vendidas em tempo recorde

Mais de 20 discos depois – e já tendo lançado outros grandes sucessos como Canta, Canta Minha Gente (1974), Disritmia (1974), Ex Amor (1981) e Madalena do Jucu (1989), – em 1995, Martinho da Vila consagrou-se como o primeiro sambista a ultrapassar a marca de um milhão de cópias vendidas em tempo recorde, com o álbum Tá delícia, Tá gostoso, que contava com os super sucessos Devagar Devagarinho (composição de Eraldo Divagar) e Mulheres (de Toninho Geraes).

6 – A história da Unidos de Vila Isabel se confunde com a de Martinho, que passou a ser chamado de “da Vila” por causa dela

A dedicação à escola de samba do coração, Unidos de Vila Isabel, iniciou em 1965. Antes, Martinho participava da extinta Aprendizes da Boca do Mato. A história da Unidos de Vila Isabel se confunde com a de Martinho, que passou a ser chamado de “da Vila” por causa dela. Ele nunca exerceu oficialmente a presidência administrativa da escola, mas por várias vezes esteve à frente da agremiação da qual é o Presidente de Honra, com busto de bronze na entrada da quadra de ensaios e eventos. Os sambas de enredo mais consagrados da escola são de sua autoria.

7 – Ativista cultural, Martinho também é escritor

Ativista cultural, Martinho também é escritor e publicou mais de 10 livros de sucesso, entre  infantis, infanto-juvenis, biografias e romances. É membro efetivo da Academia Carioca de Letras, do PEN CLUB e da Divine Académie Française des Arts, Letres e Culture.

8 – Recebeu o título honorário de Embaixador Cultural de Angola

Recebeu o título honorário de Embaixador Cultural de Angola e Embaixador da Boa Vontade da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa), por ser um incentivador das relações linguísticas do português e divulgador da lusofonia. 

9 – Martinho também é Comendador da República da Ordem do Barão do Rio Branco

No Brasil foi agraciado com a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e recebeu as comendas mineiras Tiradentes e JK. É Comendador da República da Ordem do Barão do Rio Branco, em grau de Oficial.

10 – Foi membro do Conselho Estadual de Cultura e liderou também o o Grupo Kizomba

Foi membro do Conselho Estadual de Cultura e da Comissão de Apoio à Cultura, do MinC, e responsável pelo projeto O Canto Livre de Angola que, em 1982, trouxe os primeiros artistas africanos ao Brasil. Liderou também o Grupo Kizomba, promotor do pioneiro Encontros Internacionais de Artes Negras.

11 – Idealizou, em parceria com o maestro Leonardo Bruno, o Concerto Negro, espetáculo sinfônico que enfoca a participação do negro na música erudita

Recebeu o título honorário de Embaixador Cultural de Angola e Embaixador da Boa Vontade da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, além de receber a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura. Idealizou, em parceria com o maestro Leonardo Bruno, o Concerto Negro, espetáculo sinfônico que enfoca a participação do negro na música erudita. 

12 – Vários de seus oito filhos seguiram os passos do pai na música

Vários de seus oito filhos seguiram os passos do pai, como – por exemplo – as cantoras, compositoras e instrumentistas Mart’nália e Maíra Freitas.

Martinho da Vila completa 85 anos em 2023 | Foto: Reprodução/Instagram

Viva os 85 de Martinho!