Ouça ao vivo
Ouça ao vivo
No ar agora

10 artistas da nova cena que valem uma audição atenta em 2023

Novabrasil
12:00 06.03.2023
Música

10 artistas da nova cena que valem uma audição atenta em 2023

A música popular brasileira é diversa e plural. Somos um país continental e isso se reflete na nossa arte e na nossa cultura, o que é maravilhoso! Por isso, separamos para você 10 artistas da nova MPB que valem uma audição atenta em 2023. A cada dia, surgem novos e grandes talentos na nossa MPB, … Continued

Novabrasil - 06.03.2023 - 12:00
10 artistas da nova cena que valem uma audição atenta em 2023
Confira a lista com os artistas da nova cena da MPB para ouvir em 2023. Na foto, Brisa Flow, Assucena e Jota.pê | Foto: Divulgação/Editado

A música popular brasileira é diversa e plural. Somos um país continental e isso se reflete na nossa arte e na nossa cultura, o que é maravilhoso! Por isso, separamos para você 10 artistas da nova MPB que valem uma audição atenta em 2023.

A cada dia, surgem novos e grandes talentos na nossa MPB, que trazem o frescor do que existe de mais contemporâneo na cena, unido às referências que carregam por terem sido influenciados pelos grandes nomes que vieram antes deles.

Confira a lista com os artistas da nova cena da MPB para ouvir em 2023. Na foto, Brisa Flow, Assucena e Jota.pê | Foto: Divulgação/Editado

10 artistas da nova MPB que valem uma audição atenta em 2023

Hoje, nós preparamos uma lista com 10 artistas que estão surgindo no cenário musical brasileiro e que você – que gosta de música – PRECISA conhecer!

Dá o play!

1 – Assucena

Natural de Vitória da Conquista, Bahia (Brasil), Assucena já foi duplamente premiada no Prêmio da Música Brasileira (2018) e indicada duas vezes ao Grammy Latino, respectivamente nos anos de 2019 e 2020, com sua primeira banda, As Baías.

Cantora, compositora, intérprete e atriz, Assucena vive em São Paulo (SP) e neste 2022 abre espaço para sua carreira solo, na qual projeta desenvolver suas aspirações musicais e poéticas próprias, passeando pela MPB, o samba e o pop. 

Entre suas principais referências estéticas, Assucena destaca a cena de MPB dos anos 70 – calcada nas vozes de Elis Regina e Gal Costa, nas letras de Jards Macalé e Aldir Blanc e na poesia de Waly Salomão, entre outros -, mas sem tirar os pés do agora, utilizando de forma criativa gêneros e elementos da música brasileira e pop contemporânea em suas novas composições.

2 – Brisa Flow 

Brisa de la Cordillera, mais conhecida como Brisa Flow é cantora, compositora, escritora e pesquisadora . Constrói arte a partir da vivência de seu corpo no mundo, criando caminhos que desprendem das amarras da colonialidade.

Sua música é um um encontro com as energias da Terra, o fogo e água. Canta poesias que curam com sua voz dos ventos andinos. Desenvolve estéticas artísticas que nos conecte com a Terra, a Espiritualidade e Ancestralidade. 

Multiplica conteúdos e tece redes entre mulheres e comunidade sobre arte e cultura de Abya Yala (América Latina). Também é arte educadora licenciada em Música.

Mc da cultura hip hop e filha de artesãos araucanos, pesquisa e defende a música indígena contemporânea, a arte dos povos originários e o rap como ferramentas necessárias para combater o epistemicídio.

3  – Drik Barbosa

Paulistana, Drik (pronuncia-se Drika) tem 29 anos e compõe desde os 14. Como além de rimar também cantava, recebeu muitos convites para emprestar sua voz aos refrões dos raps. Assim participou de músicas de artistas conhecidos como Flow MC, Amiri, Marcello Gugu, Projota e Dj Caique, entre outros.

Em 2013 Drik participou da música do rapper Emicida Aos Olhos de uma Criança, trilha do filme O Menino e o Mundo – um longa-metragem de animação feito por Alê Abreu. 

O álbum Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa, lançado pelo rapper Emicida – também contou com ela na música Mandume, na qual representou a força feminina do rap. Em 2019, Drik lançou seu novo álbum chamado Drik Barbosa.

Em 2020, Drik refletiu sobre como poderia colocar a sua arte a serviço da coletividade. Surgiu então o projeto NÓS, que teve como ponto de partida o lançamento do single Sobre Nós (com participação do rapper Rashid). Além de mais músicas, ela prepara uma audionovela ficcional inspirada por histórias reais.

4 – Jotapê

Com vertentes que vão de Jorge Ben a Caetano Veloso e passando pelo manguebeat de Chico Science, o cantautor Jota.pê, nascido em Osasco, lançou alguns singles e seu primeiro álbum Crônicas de um Sonhador em 2015.

O EP Garoa (de 2021) conta com produção de Lucas Mayer e participações de grandes músicos como Marcelo Mariano e Kabé Pinheiro. Paralelamente, Jota iniciou o duo ÀVUÀ com sua amiga Bruna Black.

Parceria que rendeu uma indicação ao Grammy Latino 2021 com o álbum ONZE (que reúne grandes intérpretes como Elza Soares e Zeca Baleiro). No mesmo ano, o duo foi convidado para participar do ColorsxStudios, um dos maiores canais de música do mundo. 

Em sua história, Jota.pê já se apresentou no TEDx, Memorial da América Latina, Sofar Sounds, participou do The Voice Brasil, sendo considerado por Lulu Santos uma das melhores vozes de todas as temporadas do programa. Este ano, após várias apresentações pelo Brasil, fez sua primeira turnê pela Europa, com ingressos esgotados em todos os shows. Atualmente, Jota prepara um novo disco solo para ser lançado no primeiro semestre de 2023.

5 – MC Soffia

A rapper paulistana MC Soffia tem,18 anos, onze anos de carreira, que iniciou após participar da oficina O Futuro do Hip Hop para crianças. Com shows em saraus, SESC, entidades sociais, escolas, programas de TV, atividades do movimento social e UNICEF, suas músicas tocam em rádios e plataformas digitais e clipes no YouTube.

Teve destaque mundial na abertura dos jogos Olímpicos de 2016, cantando ao lado dE Karol Conka, e foi a primeira artista brasileira indicada ao prêmio da TV americana BET Awards 2018, pelo clipe Menina Pretinha, fez feat com a cantora americana Madame Gandhi e Drik Barbosa. 

Tem suas histórias em livros didáticos nacionais e teses de mestrado. Em 2022 fez seu primeiro show internacional em Buenos Aires, Argentina, no festival Me Leva Que Eu Vou. 

A rapper tem usado sua música como entretenimento e muita consciência social e racial e causa grandes debates na sociedade, ao trazer temas como relações interraciais e a invisibilidade de mulheres negras no rap. Lançou os EPs Ilusão e Rapper com destaque para as músicas Meu BB e Realeza.

6 – Lucas Mamede 

Lucas Mamede é um cantautor recifense de apenas 20 anos de idade. Seu álbum de estreia Já ouviu falar de amor? reúne um time de gigantes instrumentistas da música brasileira arregimentando suas primeiras composições autorais.

Produzido por Alê Siqueira, o disco traz também uma composição inédita de Ana Caetano, além da releitura de uma linda canção do mineiro Paulinho Pedra Azul.

Pifes, rabecas, zabumbas e sanfonas recheiam as canções e transportam o ouvinte direto para Pernambuco, terra natal de Lucas e de grandes mestres que o inspiram como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Alceu Valença, Spok Frevo Orquestra e Quinteto Armorial.

7 – Bela Maria 

 Bela Maria é uma cantora e compositora nordestina, de 21 anos, que atua na cena musical como artista independente. Nascida na cidade de Paulista em Pernambuco, deu início oficialmente à sua carreira autoral em 2020, e desde então passeia pelas diversas vertentes do Pop e R&B.

A compositora tem passagem em palcos como o do The Voice Kids Brasil (1º temporada – 2016), Máquina da Fama (SBT – 2017), RecBeat (2021), Festival de Inverno de Garanhuns (2022), Rec n’ PLay (2022), Festival Imune (2022) e entre outros. Premiada pelo Women’s Music Event, na categoria Manas For Reels (2022), o trabalho autoral da artista vem sendo cada vez mais reconhecido, e isso se deve principalmente a sua estratégia com as redes sociais. 

No início de 2021, a artista viralizou fazendo suas próprias versões de músicas brasileiras consagradas e foi batizada pela mídia local como “a sensação do TikTok e Reels”. Com mais de 850 mil seguidores no Instagram e outros mais de 500 mil no TikTok, Bela uniu o estilo único da cultura nordestina ao universo do Pop e chamou a atenção dos internautas, ganhando visibilidade e um público apaixonado por suas músicas.

Agora, com o lançamento do primeiro EP de sua carreira que chegou as plataformas ao final de dezembro de 2022 e já conta com mais 1 milhão de streamings desde sua estreia, a artista pretende expandir cada vez mais as divulgações levando a experiência do projeto Só Te Usei Pra Compor aos palcos, para o público.

8 – Jadsa

Jadsa, 27 anos, baiana de Salvador, é cantora, compositora, guitarrista e produtora musical. Lançou o EP  (2015), produzido por ela em parceria com o coletivo Tropical Selvagem, e o EP  em parceria com , com lançamento pela Balaclava Records.

Suas influências passeiam pelo pop, rock e jazz, com fortes referências da música brasileira do final dos anos 1960 e da década de 1970, sendo alguns dos expoentes Jards Macalé, Gal Costa, Caetano e Gil, além da vanguarda paulista de Itamar Assumpção e Arrigo Barnabé.

Também inspira-se em grandes guitarristas e compositores estrangeiros, como Jimi Hendrix e Janis Joplin, além das bandas Alabama Shakes e Khruangbin.

9-Ivyson

O cantor e compositor  (Recife, Pernambuco) iniciou sua carreira em 2018 com suas músicas autorais em suas redes sociais. No ano seguinte, lançou o mixtape Poemas Pra Quem Chora, lançado em dezembro de 2019, que contém a faixa Girassol, consagrada pelos fãs do artista.

Durante o período de isolamento social, lançou o EP Retalhos, produzido e gravado inteiramente de forma caseira com um aparelho celular. 

Em 2022 deu mais um passo na carreira com o seu álbum de estreia O Outro Lado do Rio, lançado dia 10 de junho através do Selo Lebab Lab.

Trazendo no conceito toda a experiência adquirida e explorada de diversas formas no álbum. Contendo 10 faixas que vão desde o Pop ao R&B, misturadas a suave voz do jovem artista e as letras que fragmentam o amor de várias maneiras.

10 – Josyara

Josyara é cantora e compositora baiana, natural de Juazeiro-BA. Em 2012, lançou o disco Uni Versos, por meio da Petrobrás. Realizou shows em importantes festivais, como Intercenas Musicais, Invasão Cultural, MINAVU e Radioca.

Com personalidade performática e expressiva, levou os troféus de Melhor Instrumentista e o Escuta As Minas, categoria que revela novos talentos do WME Awards, prêmio que destaca a produção musical feminina brasileira, por Mansa Fúria, seu segundo álbum de estúdio, lançado em 2018 e contemplado pelo edital da Natura Musical, um dos principais vetores da nova safra da MPB. 

A artista prepara um disco novo, que será lançado pela Deck. Para apresentar o novo trabalho, Josyara apresenta o primeiro single , que conta com a icônica participação de Margareth Menezes, e já está disponível nas plataformas de música.

Se você gosta de estar sempre atento as novidades da música brasileira, ouça o Vitrine – programa apresentado por Lívia Nolla, que celebra os novos talentos da música brasileira. Nomes expoentes da nossa música ganharão espaço e destaque na programação da rádio.

O Vitrine faz parte do projeto Faixa das Dez, da Novabrasil. O programa vai ao ar todas as quinta-feiras, às 22h.

Tags relacionadas

#novabrasil artistas nova cena mpb artistas para prestas atenção em 2023 Assucena brasilidade brisa flow Diversidade Drik Barbosa faixa das dez Jotapê Livia Nolla lucas mamede mc soffia MPB nova MPB novabrasil programas programa vitrine vitrine novabrasil
< Notícia Anterior

65 anos sem Assis Valente, o compositor de 'Brasil Pandeiro'

06.03.2023 09:30
65 anos sem Assis Valente, o compositor de 'Brasil Pandeiro'
Próxima Notícia >

O Brasil se despede de Sueli Costa

06.03.2023 14:00
O Brasil se despede de Sueli Costa
© 2024 - novabrasil - Todos os direitos reservados
Com inteligência e tecnologia: PYXYS - Reinventing Media Business