Perfil do Artista

Lulu Santos (Luís Maurício Pragana dos Santos) Carioca do Rio de Janeiro, nascido em 4/5/1953

Lulu é filho de militar da Aeronáutica e por isso passou parte de sua infância nos Estados Unidos, onde seu pai Luiz Maurício Pragana dos Santos, fazia especialização em engenharia aeronáutica. Logo foi contaminado pelo som dos Beatles e Rolliong Stones, no entanto, também já curtia Chubby Checker, Hank Ballard, Ray Charles e os discos de seus pais que rolavam em casa: Frank Sinatra, Perry Como e Andy Williams. A música brasileira entraria pela Jovem Guarda e, principalmente, pela Tropicália de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes, Gal Costa e companhia.

Em meados dos anos 1960 resolveu se aventurar no mundo da música e montar a banda Cave Man, que fazia cover dos Beatles. Durante a década seguinte, fez parte do Albatroz, Veludo Elétrico e Vímana. Neste último, que atuou entre 1975 e 77, e lançou apenas um compacto para a gravadora intitulado “Zebra” e “Masquerade”. Lulu chegou a trabalhar com outros músicos fundamentais para o rock brasileiro que tomou a cena a partir dos anos 1980, Lobão e Ritchie.

Chegou a trabalhar por quase dois anos na gravadora Som Livre, ao lado dos produtores Guto Graça Mello e Ezequiel Neves, selecionando músicas que entrariam nas trilhas das novelas da Rede Globo.

Paralelamente a este trabalho, também era crítico de música da “Som Três”, uma das mais uimpostantes revistas especializadas em música no Brasil, daquela época. Em 1980, com o nome de Luiz Maurício, por imposição de um diretor artístico da gravadora, que argumentou que Lulu não era nome de homem, lançou um compacto simples que passou em branco.

O cantor não deixou se abalar pela má repercussão do disco e um ano depois, contratado por outra gravadora, lançou em seqüência três compactos que emplacariam nas rádios as canções “Tesouros da juventude”, “Areias escaldantes” e “De leve” que trouxe uma versão feita por Gilberto Gil e Rita Lee para “Get back”, de Lennon e McCartney.

Em 1982 lançou o álbum “Tempos Modernos”, que foi produzido pelo baixista dos Mutantes, Liminha. O disco reuniu canções dos compactos e ainda “De repente Califórnia”, “Palestina”, ambas escritas em parceria com Nelson Motta, “Tudo com você”, com Fausto Nilo e “Scarlet Moon”, que Rita Lee escreveu para a jornalista e atriz, mulher de Lulu desde 1978 – morta em junho de 2013 em decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

A parceria com Liminha prosseguiu nos dois álbuns seguintes, “O Ritmo do Momento”, de 1983 e “Tudo Azul”, de 1984. No repertório de ambos, mais sucessos radiofônicos, no que viria se tornar uma característica na carreira de Lulu, sempre marcando presença nas rádios brasileiras.

Em 1985 lançou “Normal”, que foi produzido por ele mesmo. Nele, é retratado uma música mais roqueira, com flerte nos sons afro-caribenhos em “Ny popoya y papa” e consolidava o Lulu letrista.

No ano seguinte gravou “Lulu”. O disco bateu o recorde de vendagem naquela época e chegou a 200 mil cópias.  É neste álbum que estão as músicas “Casa”, “Condição” e “Um pro outro”.

O disco seguinte foi “Toda Forma de Amor”, lançado em 1988. Nele estão os hits “A cura”, “Cobra criada” e a faixa-título. A grande turnê de lançamento, que percorreu boa parte do Brasil e chegou também ao Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, gerou o primeiro disco ao vivo do cantor: “Amor à Arte”.

Em 1989, lançou “Popsambalanço e outras levadas”. Neste disco Lulu confessa que se inspirou no samba-pop de Jorge Bem Jor, como na canção “Brumário” e também investiu em sua releitura bossa-novista de “Samba dos animais”, de Mautner e Nelson Jacobina. No ano seguinte presenteou os fãs com “Honolulu”.

Lulu passou quatro anos sem lançar material novo. Até que em 1992 presenteou os fãs com “Assim Caminha a Humanidade”. A faixa-título mantinha o ritmo insinuado pela recriação de Tim Maia, mas o disco reafirmaria sua ligação com a MPB.

Em 1995, Lulu se juntou a um DJ e lançou um CD com músicas mais dançantes “Eu e Memê, Memê e Eu”. O disco bateu a marde de um milhão de cópias vendidas. Ele trazia versões para sucessos do cantor, como “Casa”, “Toda forma de amor”, “Assim caminha a humanidade”, “Tudo bem”, e das canções que lançou de outros artistas “O descobridor dos sete mares”, “Sossego”, “Se você pensa” e “Fullgás”.

No ano seguinte gravou “Anti Ciclone Tropical”, nova produção de Memê. No disco estão canções como “Aviso aos navegantes”, Assaltaram a gramática II”, escrita em parceria de Lulu com o poeta Waly Salomão, que fora lançada pelos Paralamas, ganhou um terceiro parceiro, Gabriel O Pensador, que também participou da gravação.

Já nos anos 2000, Lulu registrou sua passagem pelo Acústico MTV em um CD duplo. Entre as canções estão “Condição”, “Aviso aos navegantes”, “Sereia”, “Tempos modernos”, “Um certo alguém”, “Como uma onda”, “Casa”, “Sábado à noite”, “Tudo bem”, e “De repente Califórnia”. Até 2001, o cantor levou o show acústico para mais de vinte cidades brasileiras.

Em 2003, lançou “Bagalu”. No álbum reatou sua parceria com o DJ Memê, que assinou a produção e programou muito dos barulhinhos bons e eletrônicos que pontuam o disco.

Lançou pela gravadora Sony/BMG, em 2005, o CD “Letra e música”, no qual regravou sua composição “Popstar”, antigo sucesso do grupo João Penca e Os Miquinhos Amestrados do ano de 1985. No disco também foram incluídas várias composições inéditas, como “Vale de lágrimas”, “Gambiarra”, “Din don” e “021”. Ele ainda regravou “Ela falava nisso todo dia”, de Gilberto Gil.

Em 2012 se juntou ao cantor Daniel, Cláudia Leite e Carlinhos Brown, e compôs o corpo de jurados do programa de calouros “The Voice”, da Rede Globo, baseado nos programas americanos “America Idol” e “The X Factor”.

No ano seguinte lançou o CD “Lulu canta & toca Roberto e Erasmo Carlos”, no qual contou com a participação especial do baixista de sua banda Jorge Ailton, com o qual interpretou em dueto a faixa “Você não serve pra mim”.

Referências: Site Oficial e Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira

Discografia: (2013) Lulu canta & toca Roberto e Erasmo Carlos (2010) Acústico MTV II (2009) Singular (2007) Longplay (2004) MTV ao vivo (2003) Bugalu (2002) Programa (2000) Luluacústico (1999) Calendário (1997) Liga lá (1996) Anti ciclone tropical (1995) Eu e Memê & Memê e eu (1994) Assim caminha a humanidade (1990) Popsambalanço e outras levadas (1990) Honolulu (1990) Mondocane (1988) Toda forma de amor (1988) Lulu Santos e auxílio luxuoso. Amor à arte-ao vivo (1986) Lulu (1985) Normal (1984) Tudo azul (1983) O ritmo do momento (1982) Tempos modernos (1981) Tesouro da juventude (1981) Areias escaldantes (1980) Gosto de batom (1976) Zebra e Masquarede