Há exatos 33 anos, o Brasil perdia uma das maiores lendas da música popular brasileira: Luiz Gonzaga.

Um dos nomes mais importantes da história do país, por sua contribuição memorável para a nossa cultura, Gonzagão sintetizou como ninguém os ritmos nordestinos, por meio de uma releitura da cultura popular que resultou na criação do Baião.

Sobre o Baião e Luiz Gonzaga

O gênero musical Baião atingiu o auge do sucesso nas décadas de 40 e 50, levando – para sempre – a cultura musical nordestina ao Brasil inteiro e também ao mundo. Por isso, o cantor, compositor e instrumentista pernambucano ficou conhecido como o Rei do Baião.

Gonzagão influenciou uma geração inteira de artistas da música popular brasileira, é referência nos principais movimentos musicais da história do nosso país e – com sua sanfona e sua simpatia – tornou-se um grande herói do povo nordestino.

As composições do Rei do Baião

Em suas composições, apresentou o sertão nordestino ao mundo, descrevendo as injustiças, a fome, a seca e a pobreza daquela região, mas também a alegria, a dedicação ao trabalho, a bravura, a beleza e a coragem do povo nordestino.

Contando sobre o amor de um povo por sua terra (e a saudade que esse povo sente ao ter que deixá-la para tentar uma vida com mais oportunidades e menos aridez), Luiz Gonzaga conta também histórias de amor, sempre aliadas a importantes críticas sociais.

Com sua música e seus trajes que homenageavam Lampião e a cultura nordestina, Gonzagão gravou mais de 50 discos e compôs mais de 500 canções em 50 anos de carreira.

Os maiores sucessos de Luiz Gonzaga

Entre os seus maiores sucessos estão as canções:

  • Asa Branca (parceria com Humberto Teixeira), grande hino do nordeste brasileiro;
  • Baião (“Eu vou mostrar pra vocês / Como se dança o baião / E quem quiser aprender / É favor prestar atenção!”);
  • Respeita Januário (escrita em homenagem ao seu pai);
  • Qui Nem Jiló;
  • Assum Preto;
  • Paraíba (essa e as duas citadas acima são parcerias com Humberto Teixeira);
  • Pagode Russo (parceria com João Silva);
  • Xote das Meninas,
  • Vem Morena,
  • ABC do Sertão;
  • Sabiá;
  • Vozes da Seca;
  • Riacho do Navio (essa e as outras cinco acima são parcerias com Zé Dantas);
  • A Vida do Viajante (parceria com Hervé Cordovil);
  • e Olha Pro Céu (parceria com José Fernandes).

O Rei do Baião morreu no dia 02 de agosto de 1989, aos 76 anos de idade, vítima de uma parada cardiorrespiratória, mas seu legado permanece vivíssimo em nossa história, sendo interpretado por grandes nomes da MPB, como os também já saudosos Dominguinhos e Gonzaguinha (seu filho), além de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Raul Seixas, Elba Ramalho, Fagner, Chico Science, Marisa Monte, Zeca Baleiro, Lenine, Geraldo Azevedo e tantos outros.

Gonzagão, a lenda: eternamente vivo na nossa história! Sua vida foi andar por esse país, levando sua música e sua história, pra – um dia – descansar feliz!

Quer saber mais sobre a história dessa figura tão importante do nosso Brasil? Clique aqui pra escutar o Acervo MPB Luiz Gonzaga.

Leia mais sobre o Rei do Baião:

Você sabe quem foi Luiz Gonzaga? Conheça a história do ídolo que marcou a música nordestina