Hoje é aniversário de uma das grandes vozes e musas da nossa MPB: Baby do Brasil!

Nascida em Niterói, no Rio de Janeiro, em 1952, com o nome de Bernadete Dinorah de Carvalho Cidade – mas também conhecida como Baby Consuelo (que foi o seu primeiro nome artístico, antes de começar a assinar Baby do Brasil nos anos 90) – a cantora, compositora e multi-instrumentista mudou-se para Salvador sozinha, quando tinha apenas 17 anos, e entrou para a história da música popular brasileira ao integrar o grupo Novos Baianos, no fim dos anos 60, ao lado de nomes como Moraes Moreira, Pepeu e jorginho Gomes, Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão, Baixinho, Dadi e Bola Morais).

Com sua irreverência, originalidade, voz única e potente – que traz traços bem brasileiros somados a influências jazzísticas – Baby conquistou o Brasil para sempre e tornou-se uma das maiores vozes da nossa música.

No início dos anos 70, Baby do Brasil e os Novos Baianos transformam para sempre a cena musical brasileira com suas composições icônicas, que misturam o rock – vertente inicial do grupo – com samba, ijexá, frevo, choro, afoxé, baião, influências da Tropicália, da Jovem Guarda e da bossa nova. Em 1972, lançaram o icônico disco Acabou Chorare, considerado o melhor álbum brasileiro de todos os tempos, segundo a revista Rolling Stone Brasil.

Com os Novos Baianos, Baby lançou sucessos como A Menina Dança e Tinindo Trincando (ambas composições de Moraes Moreira e Galvão), além de uma regravação histórica de Brasil Pandeiro (clássico de Assis Valente).

Depois de dez anos com a banda, Baby seguiu em uma carreira solo de sucesso e – com sua voz e interpretação inconfundíveis – lançou canções clássicas como Menino do Rio (de Caetano Veloso, feita especialmente para ela); Todo Dia Era Dia de Índio (de Jorge Ben Jor); além de composições dela como Telúrica (parceria com Jorginho Gomes); Sem Pecado e Sem Juízo (com Pepeu Gomes, com quem foi casada por quase 20 anos e teve seis filhos); e Um Auê Com Você (composição apenas dela).

Sempre à frente do seu tempo, Baby foi também a primeira cantora de trio elétrico do Brasil, em 1977, dois anos depois de Moraes Moreira inaugurar a modalidade, num tempo em que os trios do carnaval de Salvador ainda eram só instrumentais.

Viva, Baby do Brasil!

Você sabia que a Baby do Brasil estará no FNB22?

Elba Ramalho, Zeca Baleiro, Baby e Pepeu confirmados no FNB22