A música é uma das expressões mais importantes da cultura brasileira. Reconhecida e

apreciada no mundo inteiro por sua qualidade única, a nossa música popular brasileira

fez história, rompeu fronteiras e ganhou o mundo.

Por isso, resolvemos fazer uma lista de coisas que – assim como a MPB – foram

criadas aqui no nosso país e transformaram esse mundão afora. É o Brasil com S!

Dia 1 de agosto – é celebrado o Dia do Poeta de Literatura de Cordel!

A Literatura de Cordel é um dos maiores tesouros da cultura popular brasileira. Em 2018, ela foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

O Cordel é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado de relatos orais e depois impresso em folhetos. Chegou ao nordeste brasileiro no século XVIII, por influência dos portugueses, que penduravam os folhetos com os relatos orais transformados em versos em varais de corda e os expunham para venda. Por isso o nome Cordel.

Aqui no Brasil, a tradição do Cordel ganhou a sua identidade própria e ajuda a contar e recontar fatos históricos, lendas, tradições populares e fatos cotidianos, principalmente do povo nordestino, fortalecendo as identidades regionais. Os autores, chamados cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, trazendo musicalidade aos relatos.

Cordel de Salete Maria da Silva Cordel. Fonte: Cordelirando

Alguns cordéis são ilustrados com xilogravuras e os folhetos são vendidos em feiras, mercados e eventos culturais. Muitas vezes preenchido de humor e críticas sociais, o Cordel é muito importante para a preservação dos costumes regionais e também para incentivar a leitura e diminuir o analfabetismo.

Várias manifestações populares atuais são influenciadas pela Literatura de Cordel como o repente, o partido alto, o rap e outras expressões de nossa cultura em que vozes improvisam rimas e contam histórias da nossa população.

Alguns importantes cordelistas brasileiros são: Patativa do Assaré, Leandro Gomes de Barros, Firmino Teixeira do Amaral, Jarid Arraes,Silvino Pirauá, Fábio Sombra, Salete Maria da Silva, Maria Godelivie, Arievaldo Viana Lima e Pedro Nonato da Costa.

Dentro dos grandes nomes da MPB, temos um membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel: entidade literária máxima a reunir os expoentes da literatura de cordel no Brasil: o grande e eterno Moraes Moreira.

Mestre no que diz respeito à diversidade musical, o baiano de Ituaçu – que nos deixou em 2020 – trazia em suas influências – além do rock, do samba, do frevo e do choro, influências da música erudita e até do hip-hop – a Literatura de Cordel. Excelente cordelista, Moraes publicou até um livro escrito todo nessa linguagem, em que conta a história dos Novos Baianos, em 2008: A História dos Novos Baianos e Outros Versos.