Ouça ao vivo
Ouça ao vivo
No ar agora

Dia de celebrar Bezerra da Silva e suas canções

Lívia Nolla
15:00 23.02.2024
Notas musicais

Dia de celebrar Bezerra da Silva e suas canções

Bezerra da Silva foi um dos principais expoentes do samba do Brasil. Se não tivesse nos deixado em 2005 – por conta de problemas pulmonares, aos 77 anos de idade – o artista estaria completando 97 anos no dia de hoje. Sua história de vida é rodeada de acontecimentos marcantes, que vamos … Continued

Lívia Nolla - 23.02.2024 - 15:00
Dia de celebrar Bezerra da Silva e suas canções
Bezerra da Silva | Imagem: Divulgação
por Lívia Nolla
Bezerra da Silva | Imagem: Divulgação
Bezerra da Silva | Imagem: Divulgação

Bezerra da Silva foi um dos principais expoentes do samba do Brasil. Se não tivesse nos deixado em 2005 – por conta de problemas pulmonares, aos 77 anos de idade – o artista estaria completando 97 anos no dia de hoje.

Sua história de vida é rodeada de acontecimentos marcantes, que vamos contar hoje para vocês, seguidos de uma playlist para que vocês conheçam mais sobre a importante obra do sambista.

Infância difícil

Nascido no Recife (PE), em uma família muito pobre, Bezerra da Silva viveu muitos anos à margem da sociedade, passando por diversas dificuldades, até lançar o seu primeiro disco, aos 48 anos. O pai abandonou a mãe ainda grávida e – aos 15 anos, depois de ser expulso da Marinha Mercante – o menino viajou de Recife para o Rio de Janeiro em um navio que carregava açúcar, apenas com a roupa do corpo, para procurar o pai e fugir da pobreza.

Passou então a trabalhar na construção civil e como pintor de paredes e morava na obra em que trabalhava, até mudar-se para um barraco no Morro do Cantagalo. Boêmio, Bezerra da Silva foi detido pela polícia mais de 20 vezes, ficou desempregado e chegou a morar por anos nas ruas do Rio e a tentar o suicídio, até ser acolhido por um terreiro de Umbanda, onde descobriu sua mediunidade e soube que o seu destino era a música.

Bezerra da Silva | Foto: Divulgação/Editado

O encontro com a arte e com Jackson do Pandeiro

Bezerra da Silva começou a se desenvolver como músico, a partir do coco de Jackson do Pandeiro, e logo ingressou na bateria do bloco carnavalesco Unidos do Cantagalo, tocando tamborim. Em 1950, conheceu Doca, também morador do Morro do Cantagalo, que o convidou para participar do Programa da Rádio Clube do Brasil, como ritmista: além do tamborim, tocava surdo e instrumentos de percussão em geral.

Com o nome artístico José Bezerra, teve suas primeiras composições – Acorrentado e Leva Teu Gereré, em parceria com Jackson do Pandeiro – lançadas no primeiro álbum da carreira do paraibano, em 1959.

Na primeira metade da década de 1960, ingressou na orquestra da gravadora Copacabana Discos, que acompanhava vários artistas de renome, e também teve novas composições, assinadas com outros músicos, gravadas por Jackson do Pandeiro, como: Meu Veneno (parceria com Jackson do Pandeiro e Mergulhão); Urubu Molhado (com Rosil Cavalcanti), B-a-bá (com Mamão e Ricardo Valente); Criando Cobra (com Big Ben e Odelandes Rodrigues) e Preguiçoso (com Jackson do Pandeiro).

Em 1965, a cantora Marlene gravou Nunca Mais, uma parceria de Bezerra com Norival Reis. Em 1967, Bezerra compôs seu primeiro samba, chamado Verdadeiro Amor, que foi gravado por Jackson do Pandeiro naquele ano.

O primeiro álbum próprio

Bezerra da Silva estudou violão clássico por oito anos e passou outros oito anos tocando na orquestra da Rede Globo, sendo um dos poucos partideiros que lia partituras.

No final daquela década, mudou o nome artístico para Bezerra da Silva e, em 1969, gravou o seu primeiro compacto simples, com as músicas Mana, Cadê Meu Boi (parceria dele com Jorginho) e Viola Testemunha (parceria com Almir Delfino e Jorge Garcia).

Mas Bezerra só viria a gravar um disco próprio muitos anos depois, em 1975, que levou o nome de O Rei do Coco e ganhou um Volume 2, em 1976, com destaque para a faixa Cara de Boi (parceria com Dicró).

Bezerra da Silva é um dos maiores expoentes do samba | Foto: Edson Meirelles Coleção Nelson Motta Acervo MIS

Legado e falta de reconhecimento

Em seus quase 50 anos de carreira, o cantor, compositor, violonista e percussionista pernambucano, dos gêneros musicais coco e samba – em especial de partido-alto – cantou de forma magistral sobre o abismo social das favelas, dos morros e da população marginalizada e vendeu mais de três milhões de discos.

Mesmo ganhando 11 discos de ouro, três de platina e um de platina duplo – dentro dos seus 28 álbuns lançados – Bezerra da Silva nunca foi reconhecido o bastante pelo mainstream.

No fim de sua vida, lá pelos anos 2000, Bezerra da Silva participou de canções com Planet Hemp, RappinHood, O Rappa e outros nomes da música brasileira da atualidade na época. Marcelo D2 gravou um disco inteiro em homenagem ao sambista, em 2010.

Então, se você não conhece profundamente a obra de Bezerra da Silva, ou conhece e quer revisitá-la, nós preparamos aqui uma playlist especial com composições do artista e também clássicos na sua voz! Aproveite!

Tags relacionadas

aniversário Bezerra da Silva Jackson do Pandeiro Livia Nolla MPB Música Brasileira musica popular brasileira samba sambista
< Notícia Anterior

Especial Wilson Simonal

23.02.2024 10:00
Especial Wilson Simonal
Próxima Notícia >

Playlist da MPB Sedução

23.02.2024 20:00
Playlist da MPB Sedução
© 2024 - novabrasil - Todos os direitos reservados
Com inteligência e tecnologia: PYXYS - Reinventing Media Business