Se não tivesse deixado o Brasil inteiro em luto e órfão do seu talento, força e magistralidade – quando partiu de causas naturais, no dia 20 de janeiro deste ano – Elza Soares; a Deusa, a Cantora do Milênio, a Mulher do Fim do Mundo; estaria completando 92 anos neste 23 de junho.

Lenda de nossa música brasileira, uma potência em forma de mulher e de artista, a cantora e compositora carioca teve uma trajetória inigualável na música brasileira e também uma história de vida marcante. Uma potência em forma de mulher, preta, artista e brasileira.

Sua voz única e potente – rouca e vibrante – era a sua marca registrada, além da interpretação poderosa que entregava às suas canções, fazendo questão de defender letras com mensagens certeiras, presentes em tudo o que gravou – sempre trazendo à tona questões sociais, políticas e raciais de extrema importância, principalmente sobre racismo, desigualdade, feminismo e equidade de gênero – transformaram a história de um país inteiro. E seu legado já se perpetua entre nós. 

Foto: Reprodução

Elza Soares nasceu em 1930, na comunidade Moça Bonita – hoje Vila Vintém – no bairro Padre Miguel, no Rio de Janeiro. Filha de um operário e uma lavadeira, tinha nove irmãos e teve uma vida muito humilde.

Sua vida toda é sinônimo de resistência, resiliência e sobrevivência. Elza passou por vários traumas e tragédias – como a morte de quatro dos seus filhos e abusos físicos e sexuais, além de preconceitos de todos os tipos – e fez disso tudo combustível para a sua arte e para a sua música, levando sua mensagem para outras mulheres e pessoas negras. A cada queda, se levantou maior.

O seu amor e aptidão pela música acompanharam Elza desde criança. Confiante no seu talento e técnica para cantar – mesmo sem o apoio da família – em 1953, ela se inscreveu no concurso musical apresentado pelo compositor Ary Barroso.

Assim que ela soltou a voz, interpretando o samba-canção Lama (de Paulo Marques e Alice Chaves), deixou todo mundo impressionado. Ela tirou nota máxima e Ary Barroso anunciou que ali nascia uma estrela. Uma estrela que nunca vai deixar de brilhar e de nos fazer acreditar que é possível.

Elza Soares gravou grande parte dos principais compositores brasileiros, de gêneros e épocas diferentes, colocando sua impressão digital em cada interpretação. Entre as principais canções de sucesso na sua voz estão: Maria da Vila Matilde (de Douglas Germano); Mulher do Fim do Mundo (de Rômulo Fróes e Alice Coutinho); A Carne (de Seu Jorge, Marcelo Yuka e Ulisses Cappelletti); Lata D’Água (de Luiz Antônio e Jota Júnior); Espumas ao Vento (de Accioly Neto); Beija-me (de Roberto Martins e Mário Rossi; Se Acaso Você Chegasse (de Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins); Dentro de Cada Um (de Luciana Mello e Pedro Loureiro); e Façamos (Let’s Do It), versão de Carlos Rennó para o clássico Let’s Do It, de Cole Porter, sucesso também na voz de Ella Fitzgerald, que Elza canta em dueto com Chico Buarque.

Em 1999, Elza Soares foi eleita, pela Rádio BBC de Londres, como a cantora brasileira do milênio. Ela também ocupa a 16ª posição na lista das 100 maiores vozes brasileiras, elaborada pela Revista Rolling Stone Brasil, em 2012.

As linhas que a cantora e compositora carioca escreveu na história da música popular brasileira ficarão para sempre conosco. O que Elza Soares fez pelo Brasil, pela nossa música, pela nossa cultura, pelas mulheres, pelas pessoas pretas, pelos moradores de comunidades, pelas pessoas LGBTQIA+, é gigante, eterno e imensurável.

Com todos os preconceitos, barreiras e traumas que enfrentou em sua vida, Elza costumava dizer que – se não fosse a música – não teria sobrevivido. Que bom que a música nos deu a oportunidade de te ver cantar até os seus 91 anos, Elza

Mas você é imortal. E, com você, nós vamos cantar até depois do fim! 

Nós, da Novabrasil, tivemos o privilégio e a alegria de homenagear Elza Soares ainda em vida. No ano passado, ela foi uma das homenageadas da primeira temporada da nossa série de audiobiografias, o podcast original Acervo MPB. Já escutou? Clique aqui , para conferir essa história emocionante!

Feliz aniversário! Viva Elza Soares! Nossa Deusa, nossa Mulher do Fim do Mundo!