Era madrugada do dia 06 de março de 2013, quando Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, foi encontrado morto em seu apartamento, localizado no bairro de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. 

Desacordado, o cantor foi levado ao hospital, onde os médicos confirmaram sua morte. Naquele momento, à medida que a mídia noticiava o desenrolar dos acontecimentos, os fãs da banda Charlie Brown Jr., desacreditados, acompanhavam tudo com muita tristeza. Algumas horas depois, a morte do cantor era o assunto mais comentado da internet.

Relembre a história inesquecível de Chorão.

Mais conhecido como Chorão, Alexandre Magno Abrão foi uma das maiores estrelas do rock brasileiro.
Mais conhecido como Chorão, Alexandre Magno Abrão foi uma das maiores estrelas do rock brasileiro. | Foto: Montagem/Reprodução.

Quem foi Chorão?

Alexandre Magno Abrão, mais conhecido por seu nome artístico Chorão, nasceu em 9 de abril de 1970, em São Paulo. Apesar de ser mais conhecido como cantor, ele também era compositor, cineasta, roteirista, skatista e empresário. O nome artístico surgiu de um apelido da infância.

O artista teve uma infância conturbada e largou a escola na sétima série. A história de Chorão na música, que na época se dedicava ao skate, começou abruptamente. Um dia, ele estava em um bar e substituiu um vocalista da banda que estava tocando, quando o cantor precisou ir ao banheiro. Uma pessoa da plateia se impressionou e o convidou para integrar sua banda. Mais tarde, ele conheceu Champignon, que depois de fazerem parte de algumas bandas juntos, formaram o conhecido grupo Charlie Brown Jr

Chorão foi vocalista, compositor e co-fundador da banda Charlie Brown Jr, grande sucesso entre a geração dos anos 2000. Com uma trajetória memorável no grupo santista, o cantor se tornou um dos maiores nomes do rock brasileiro. 

O vocalista foi casado com Graziela Gonçalves, conhecida como Grazi, e teve um filho, que também se chamava Alexandre Abrão, fruto de um relacionamento anterior.

O início da carreira e a história do Charlie Brown Jr.

Um dos maiores sucessos da história do rock brasileiro, a banda Charlie Brown Jr. marcou gerações. Depois de se juntar a Champignon, Chorão participou de algumas formações de grupos, mas foi em 1992 que o grupo oficial se juntou, tendo origem em Santos, cidade litorânea de São Paulo.

A banda Charlie Brown Jr. era formada por Chorão (vocalista), Champignon (baixista), Marcão (guitarrista), Renato Pelado (baterista) e Thiago Castanho (guitarrista). O nome foi escolhido por um acontecimento do dia a dia. Chorão, que escolheu o nome, revelou que um dia bateu em uma barraca de água de coco, que tinha a imagem do personagem de cartoon Charlie Brown. Assim, o artista teve a ideia de acrescentar o ‘Jr.’ por considerar que eles eram “filhos do rock”. 

A banda passou por muitas crises internas ao longo de sua trajetória. No ano 2000, Thiago Castanho deixou o grupo. Em 2005, mais uma crise afetou o Charlie Brown Jr., os outros integrantes Renato Pelado, Champignon e Marcão também decidiram deixar a banda. 

Diferente do que muitos pensavam, a banda não teve fim. Chorão se juntou a Thiago Castanho, que retornou ao grupo, André Luís Ruas e Heitor Gomes. A passagem de André Luís Ruas, conhecido como Pinguim, acabou em 2008. Em 2011, Marcão e Champignon voltaram ao Charlie Brown Jr. e Heitor deixou o grupo.

Em 2013, a morte de Chorão deu fim à banda. Os integrantes fizeram uma nova chamada A Banca para homenagear o vocalista. O grupo teve fim no mesmo ano, quando Champignon também foi encontrado morto.

Relembre músicas de sucesso de Charlie Brown Jr

Só os Loucos Sabem
Céu Azul
Dias de Luta, Dias de Glória

Amigos e Celebridades lamentaram a morte de Chorão

Neste domingo (06), completará 9 anos da morte do cantor. Na época, o acontecimento gerou comoção nacional e vários amigos e celebridades lamentaram. Relembre as mensagens de alguns famosos para Chorão. 

Di Ferrero, vocalista do NX Zero, escreveu: “Chorão foi um cara que no começo da nossa banda, me influenciou muito, e tem influência até hoje. Mais tarde, eu o conheci pessoalmente, viramos amigos. ele conheceu meus pais, ficamos próximos. Ele era um cara autêntico, original, que falava o que pensava. Mas era extremamente amigo. Era um cara genial e deixou muita gente órfã com o que aconteceu. Fico feliz de ter tido a oportunidade de gravar uma música com ele, o remix de Cedo ou Tarde. Todas as vezes que cantamos juntos foi muito bom. Ele era um cara que roubava a cena, no bom sentido. Quando chegava nos lugares, era muito humano. Estou verdadeiramente triste”. 

Marcelo D2 também homenageou o cantor: “Apesar de toda marra, Chorão era um cara muito carinhoso. Lembro de quando ele brigou com os caras do Los Hermanos e todos estavam metendo o pau nele, fui visitá-lo na casa dele em Santos, para saber como ele estava, e encontrei a mãe dele muito feliz pelo apartamento que ele tinha acabado de comprar para ela… Um cabra brabo que, do jeito dele, cuidou da família”. 

Júnior Lima, da ex-dupla Sandy e Júnior, comentou: “Acordei com a péssima notícia sobre o Chorão. Luto por ele, pela família, por toda banda e pelo Brasil que perdeu um dos maiores do rock nacional”. 

Mesmo após 9 anos de sua morte, a história e as letras de Chorão ainda têm grande significado para as gerações marcadas por sua arte.