Minha jangada vai sair pro mar 

Vou trabalhar, meu bem querer 

Se Deus quiser quando eu voltar do mar 

Um peixe bom eu vou trazer  

Meus companheiros também vão voltar 

E a Deus do céu vamos agradecer

Suíte dos Pescadores / História de Pescadores – Dorival Caymmi    

Hoje, dia 29 de junho, é celebrado o Dia do Pescador.

A data foi escolhida por ser também o Dia de São Pedro, que na tradição católica é o apóstolo pescador e também o santo padroeiro e protetor dos pescadores. São Pedro representa para esses bravos trabalhadores proteção e boa pescaria. 

O pescador conhece a natureza e os segredos do mar, sabe observar as fases da lua e tem um cuidado todo especial com a natureza, porque sabe que a sobrevivência e procriação dos peixes dependem do equilíbrio ambiental.  Para manter esse equilíbrio e preservar  as diversas espécies de peixes, existem leis que regulamentam a forma de pesca e, principalmente, a época certa para pescar.

O trabalho do pescador é bastante desafiador e a atividade da pesca é milenar. Se a humanidade chegou onde está pode-se dizer que muito se deve à pescaria. Afinal, a prática como forma de sobrevivência garantiu ao homem alimento desde as épocas mais distantes. 

A atividade da pesca é de fundamental importância por ser responsável pelo fornecimento de alimentos e por proporcionar emprego em zonas costeiras. Além de trazer alimento para a sua família, o pescador ainda garante o sustento da casa com o que consegue vender de peixes. 

Também existem os pescadores que pescam por esporte ou lazer, a chamada pesca esportiva, atividade que basicamente consiste no prazer de capturar o peixe, pois logo em seguida ele é devolvido ao seu habitat.  O importante é que todos respeitem os rios, lagos e mares, e todos os peixes que os habitam.

Foto: Reprodução | Álbum de Erasmo Carlos

Os pescadores que vivem de sua própria produção são bastante comuns no Brasil. No entanto, a subsistência desses trabalhadores pode estar ameaçada pela poluição das águas e pela pesca desenfreada de pessoas que, sem licença e sem consciência ambiental, capturam quantidades superiores à permitida. Com isso, percebe-se o quanto o equilíbrio da natureza é importante, não só para a economia pesqueira, como para todos que dependem ou não dela.

A quantidade e a qualidade dos estoques pesqueiros de todo o mundo estão sendo seriamente ameaçadas pelo crescimento desordenado da pesca. Muitos peixes estão desaparecendo e isso está comprometendo seriamente toda a biodiversidade marinha. 

A pesca predatória, sem manejo sustentável, implica em outra grave ameaça à biodiversidade marinha: a captura secundária ou eventual de outras espécies de animais. Os equipamentos de pesca podem matar inúmeras espécies, como aves, golfinhos, tartarugas e outros tipos de peixes que não são utilizados para o consumo e, portanto, não têm valor comercial. 

Outro grave problema que afeta a fauna aquática e a pesca é o descarte inadequado de lixo e o esgoto lançado sem tratamento em córregos, rios e nos mares.  É importante conservar os ecossistemas aquáticos e manter a biodiversidade existente nesses ambientes, garantindo a sobrevivência das espécies animais e vegetais e a própria continuidade da atividade pesqueira. O equilíbrio da natureza é importante, não só para a economia pesqueira, mas para todos que dependem ou não dela.  

Ser pescador é ser um defensor da mata como um todo, afinal, para o rio estar limpo tudo precisa estar em equilíbrio. Por isso pode-se dizer que a pesca também é uma importante ferramenta de conscientização, pois esse contato transforma a relação das pessoas com a natureza.

Por isso, o Dia do Pescador nos dá a oportunidade de refletir e tentar reverter essa situação de degradação.

Na MPB, a vida e o trabalho dos pescadores já foi muito retratada, principalmente por Dorival Caymmi, cantor, compositor, instrumentista e poeta baiano que cantava muito sobre temas do cotidiano, principalmente da Bahia, e do seu amor pelo mar, personagem principal de sua obra. Além de Caymmi, vários outros artistas brasileiros homenagearam os pescadores em suas canções.

 

1 – Suíte dos Pescadores / História de Pescadores – Dorival Caymmi    

Minha jangada vai sair pro mar 

Vou trabalhar, meu bem querer 

Se Deus quiser quando eu voltar do mar 

Um peixe bom eu vou trazer  

Meus companheiros também vão voltar 

E a Deus do céu vamos agradecer

2 – Lua e Flor  – Oswaldo Montenegro

Eu amava

Como amava um pescador

Que se encanta mais

Com a rede que com o mar

Eu amava, como jamais poderia

Se soubesse como te encontrar

3 – Velho Pescador – Luiz Gonzaga (Herve Cordovil / Luiz Gonzaga)

Ô velho pescador

Mão no leme, a navegar na proa

Nas ondas, nas ondas do mar

Ô velho pescador

Mão na rede pra puxar

E agora, a aurora vai despontar

 

Uma arrancada a mais

A rede sobe mais

São Pedro trouxe cheia

Lá do mar, ô

Ô velho pescador

Velas às bandas pra voltar

Que agora é hora

De ir descansar

 

4 – Pescador de Ilusões  O Rappa  (Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

Se por alguns 

Segundos eu observar 

E só observar 

A isca e o anzol 

A isca e o anzol

 

O mar escuro

Trará o medo 

Lado a lado 

Com os corais 

Mais coloridos  

 

Valeu a pena Êh! Êh! 

Valeu a pena Êh! Êh! 

Sou pescador de ilusões

 

5 – Eu Pescador  – Milton Nascimento (Calyton Prosperi / Haroldo / JR)

Ah, meu peito de pescador 

Sabe que a lua passou 

Finda a maré de pescar  

 

Eu que dei os meus sonhos, meus navios 

Que troquei mares porfios 

Que aportei o meu pesqueiro 

Nas paragens do desejo 

Ainda guardo para alguém o meu beijo 

E adornos de corais

 

6 – O Pescador  – Tim Maia    

O vento, o mar, a areia, a praia 

As ondas, sereia, navegando Indo, voltando, canoa 

Sereia, as ondas do mar 

Pescador, tem que pescar 

Areia, canoa, pescador 

Tem que pescar 

Como vou poder sobreviver

Se não tenho nada pra comer

 

7 – Pescaria (Canoeiro) – Gal Costa (Dorival Caymmi)

Ô canoeiro 

Bota rede 

Bota rede no mar 

Ô canoeiro Bota rede no mar  

Cerca o peixe 

Bate o remo 

Puxa corda 

Colhe a rede 

Ô canoeiro 

Puxa rede do mar

 

8 – A Pescaria  – Erasmo Carlos (Erasmo e Roberto Carlos)

Domingo lindo

Tarde de sol, pego o anzol

Ligo a lancha, vou navegando

Para o farol

Mal eu chego

Vejo e sossego, o mar nem pisca

Estufo o peito

Faço pose, jogo a isca

Mas os peixes não querem cooperar

Se eu não pescar nenhum

Com que cara vou ficar

 

9 – Pescaria  – Maria Bethânia (Wilson Ribeiro Pimentel e Conceição Alves Ferreira) 

Pego minhas redes, vou pro rio pescar

Levo essa morena e a viola pra pontear 

Entro na canoa, atravesso pro lado de lá 

Com essa morena do lado, pesco até o dia clarear 

Jogo a tarrafa, ela segura o samburá 

Quando pego o peixe, nele colocar

 

10 – História de Pescador – Alcione (Candeia)

Rema, ô, rema no mar

Mas não vou na galeota

Eu só pesco em alto mar

No anzol botei baleia

Pra pescar dragão do mar

 

11 – Promessa de Pescador  – Dorival Caymmi

Quando chegar seu dia 

Pescador véio promete 

Pescador vai lhe levar 

Um presente bem bonito 

Para dona Iemanjá 

Filho dele é quem carrega

Desde terra até o mar  

Ah, Alodê Iemanjá, oiá! 

Ah, Alodê Iemanjá, oiá!

 

12 – Sonhos (Arrastão dos Pescadores) – Ivan Lins (Ivan Lins e Vitor Martins) 

No arrastão dos pescadores

Vinha o céu dos sonhadores

Feito à mão por cortadeiras

Com lanternas de traineiras

E estrelas verdadeiras

 

Vinha tudo que eu sonhava

Vinha o rio que eu pescava

Meus tesouros e meus mapas

Meus navios em garrafas

Meu destino de pirata

 

BRASIL COM S – Dia de São João