Ouça ao vivo
Ouça ao vivo
No ar agora

Prejuízos para comércio do Sul passam dos R$ 5 bilhões, segundo Fecomércio

Roberto Nonato
08:14 15.05.2024
Jornalismo

Prejuízos para comércio do Sul passam dos R$ 5 bilhões, segundo Fecomércio

Em entrevista à Novabrasil, representante da entidade, citou os prejuízos e o que é necessário para reconstrução

Roberto Nonato - 15.05.2024 - 08:14
Prejuízos para comércio do Sul passam dos R$ 5 bilhões, segundo Fecomércio
Cidades precisarão de adaptação para enfrentar mudanças climáticas|Foto:Agência Brasil

A tragédia gaúcha, além do sofrimento humanitário, também traz reflexos para a economia. Afinal, comércios, fábricas e empresas também ficaram embaixo d´água e isso tem relação direta com a economia do estado.

Em conversa com a Novabrasil, o gerente de Relações Governamentais da Fecomércio do Rio Grande do Sul, Lucas Schifino, disse que os levantamentos preliminares ainda estão sendo feitos. “Os levantamentos iniciais apontam cerca de 35.000 estabelecimentos comerciais em áreas alagadas. Ainda é um levantamento que não pega alguns municípios, ou seja, é um número mínimo”, diz ele.

A Fecomércio faz uma pequisa com as empresas do setor para estimar os prejuízos à economia neste momento. Schifino revela que “estamos chegando à um número seguramente superior a 5 bilhões de reais de prejuízos, em termos apenas de destruição de patrimônio”.

De acordo com a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, 91% das fábricas do estado estão debaixo d’água. A Fiergs indica que será uma década perdida para a indústria local.

Na avaliação de Lucas Schifino, num evento extraordinário como as chuvas recentes, a expectativa é que o auxílio, especialmente por parte do governo federal, seja dado de maneira direta para famílias e empresas. “Estamos pedindo ajuda do ponto de vista de fluxo, para as empresas segurarem o pagamento dos tributos, do ponto de vista do trabalho, para que possam reduzir contratos e contar com auxílio do governo para pagar salários, e do ponto de vista de estoque, com financiamentos para reconstrução do patrimônio das empresas e das famílias”, afirma Schifino.

Um outro ponto que também chama a atenção é a infraestrutura. É preciso recuperar rodovias, pontes, saneamento básico, entre outras ações.

O representante da Fecomércio lembrou que hoje há 30 mil pessoas em abrigos no RS e meio milhão estão desalojadas. “É um volume de logística para conseguir auxiliar e resgatar essas pessoas que é muito difícil. Pensando em eficiência econômica é lógico que o melhor é a doação em dinheiro, pois cada abrigo, cada prefeitura, cada pessoa sabe melhor qual a necessidade no momento”, diz Lucas. Ainda assim, ele destaca que isso não significa que não são necessárias outras doações em produtos.

Tags relacionadas

comércio Fecomércio RS Fiergs Lucas Schifino prejuízos
< Notícia Anterior

Bethânia e Caetano regravam “Menino Deus” em prol das vítimas do RS

14.05.2024 22:00
Bethânia e Caetano regravam “Menino Deus” em prol das vítimas do RS
Próxima Notícia >

Famílias da MPB: Gil, Elis, Caymmi, Caetano, Jobim e muito mais

15.05.2024 10:00
Famílias da MPB: Gil, Elis, Caymmi, Caetano, Jobim e muito mais
© 2024 - novabrasil - Todos os direitos reservados
Com inteligência e tecnologia: PYXYS - Reinventing Media Business