Faltam 85 dias para o Festival Novabrasil 2022! Depois de 2 anos de espera, o que mais queremos é acabar com a saudade de curtir o maior festival da MPB ao vivo. É por essa razão que o tema do FNB22 é “Chega de Saudade”, título da música que marcou a música brasileira. É sobre ela que vamos falar a seguir.

Disco “Chega de Saudade” (1959) de João Gilberto | Foto: Divulgação/Adaptado.

Por que João Gilberto é considerado o pai da bossa nova

Lá em meados dos anos 50, o baiano João Gilberto estava lá nos seus estudos intensos de violão, até que ele fez uma descoberta.

Se fizesse uma voz um pouco mais suave, sem o vibrato que era comum dos cantores da época, ele poderia adiantar ou atrasar a voz com relação ao violão, contanto que ele mantivesse uma batida constante no instrumento.

Assim, ele criou a canção Bim-Bom, e – em 57 – se mudou pro Rio de Janeiro com o intuito de apresentar essa nova batida para os músicos cariocas e quem sabe gravar a canção.

Foi quando ele conheceu Roberto Menescal, que o levou para participar de encontros que alguns jovens músicos de classe média do Rio de Janeiro promoviam em apartamentos da Zona Sul carioca para trocarem, conversarem e discutirem sobre música.

Entre esses jovens estavam Nara Leão, Ronaldo Bôscoli, Carlos Lyra e tantos nomes que vieram a formar o que a gente chamou de movimento da Bossa Nova.

Todos esses artistas acabaram sendo influenciados pelo jeito suave de cantar e por aquela batida ao violão ensinada por João Gilberto.

A história de “Chega de Saudade”

Logo, o João conheceu Tom Jobim e Vinicius de Moraes, que o apresentaram sua composição “Chega de Saudade”.

Inicialmente era para canção ser um “chorinho”, mas – João Gilberto, genial – a transformou na música que a gente conhece: um samba enxuto, em que o violão deixa de ser mero acompanhamento da voz e se torna protagonista junto com ela, trazendo fluidez rítmica e melódica.

A obra-prima estava pronta, mas João não foi o primeiro a gravar a canção: Elizeth Cardoso lançou a música no seu disco Canção do Amor Demais, em 1958, com João Gilberto tocando o seu característico violão na gravação, e inovando ainda mais ao colocar- pela primeira vez – um microfone captando o violão e outro a voz.

Antes disso, o mesmo microfone era usado para os dois e o violão acabava ficando escondido.

Um ano depois, o baiano gravou a canção no seu primeiro disco solo, que levou o nome de Chega de Saudade. O disco foi um sucesso imenso, uma revolução!

João Gilberto ganhou reconhecimento nacional e internacional, levou a música brasileira para fora do país, ganhou a alcunha de “Pai da Bossa Nova” e influenciou uma geração inteira de artistas, transformando para sempre a história da MPB.