Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido como Emicida, é um dos maiores nomes da história do rap brasileiro. Com suas composições e improvisações na rima, Emicida chama atenção no cenário musical, mas se engana quem pensa que ele se limita a este universo. Como o Dr. Estranho, super-herói da Marvel, no multiverso da loucura, o rapper, cheio de talentos, viaja pelo multiverso da criatividade

A seguir, embarque no multiverso da criatividade, conheça a história de Emicida e descubra seus inúmeros talentos!

Emicida é um artista multifacetado
Emicida é um artista multifacetado. | Foto: Montagem/Instagram.

Emicida no multiverso da criatividade

Artista multifacetado, Emicida explora diferentes universos dentro do multiverso da criatividade, desde a criação de músicas e shows até o trabalho com crianças!

Universo das rimas

O contato de Emicida com a música surgiu ainda cedo, quando ele participava de batalhas de rima. Nessa época, já chamava atenção e, daí, surgiu o nome artístico, que é uma junção de ‘MC’ e ‘homicida’. O nome veio justamente das vitórias constantes nas batalhas de improvisação, seus colegas consideravam que ele “matava” os concorrentes com suas improvisações nas batalhas. 

Em 2005, ele lançou a primeira música da carreira, chamada Contraditório Vagabundo. Em 2006, ganhou a primeira edição da Batalha de Santa Cruz. Mas foi em 2008 que o sucesso de Emicida se expandiu para além das batalhas. Com o lançamento de seu primeiro single de estúdio, Triunfo, que contou com videoclipe no YouTube, ele começou a conquistar seu lugar no cenário musical. 

Depois disso, o rapper lançou diversos trabalhos, como o mixtape Pra quem já mordeu um cachorro por comida, até que eu cheguei longe, apresentou-se no festival norte-americano Coachella, sendo o primeiro rapper brasileiro a realizar essa conquista e ganhou diversos prêmios, como o VMB MTV como ‘Melhor Música do Ano’ com a canção Dedo na Ferida. Em 2013, lançou seu primeiro álbum: O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui.

Rock in Rio, Lollapalooza e Fortnite: apresentações de destaque de Emicida no Universo das rimas

A participação de Emicida no Rock in Rio 2019 foi um dos momentos de destaque de sua carreira, já que foi a primeira vez que o rapper subiu no palco do evento como protagonista. No show, o rapper contou com a participação de convidados como Ibeyi, gêmeas franco-cubanas. No evento, ele também lançou o álbum AmarElo, que conta com 11 faixas.

No Lollapalooza 2022, Emicida também marcou presença e trouxe sucessos do álbum AmarElo. O show ainda contou com outros sucessos, como Gueto e Libra

Recentemente, Emicida também protagonizou mais uma grande conquista. No dia 29 de abril, ele estreou um show no Fortnite, jogo online. A apresentação fez parte da série Onda Sonora, um tipo de celebração realizada pelo Fortnite que reuniu shows de artistas de todo mundo, que ficaram disponíveis por 72 horas. Emicida foi o primeiro artista brasileiro a realizar essa conquista.

Universo do Empreendedorismo: Lab Fantasma

Emicida também viajou pelo universo do empreendedorismo e, junto com seu irmão Fioti e o estilista João Pimenta, lançou a marca Lab Fantasma. A marca tem o objetivo de atender amantes da arte urbana e trazer representatividade. 

A marca Lab Fantasma já participou de 3 desfiles do São Paulo Fashion Week. Durante os anos de sua trajetória, a marca já fez parceria com nomes como Caetano Veloso e Criolo.

Universo da Literatura Infantil

Emicida também se aventurou em dois universos totalmente novos: o mundo infantil e o mundo da Literatura. Em 2018, ele lançou seu primeiro livro infantil: Amoras, uma história inspirada em sua filha mais velha Estrela, e que traz uma reflexão sobre raça, identidade e representatividade, de uma forma leve e adaptada para o público infantil.

Livro Amoras
Livro Amoras. | Foto: Reprodução/Divulgação.

O rapper ainda publicou um segundo livro em 2019, chamado E Foi Assim que Eu e Escuridão Ficamos Amigas. A narrativa traz a história de uma menina que tem medo da Escuridão. A Escuridão, por sua vez, é uma menina que tem medo da claridade. Assim, por meio de versos encantadores, ele traz reflexões sobre o medo do que não conhecemos.

Livro E Foi Assim que Eu e a Escuridão Ficamos Amigas
Livro E Foi Assim que Eu e a Escuridão Ficamos Amigas. | Foto: Reprodução/Divulgação.

Universo dos streamings: AmarElo Prisma e AmarElo é Tudo Pra Ontem

O álbum de Emicida, AmarElo (2019) trouxe reflexões sobre diversas pautas da vida, como cultura, espiritualidade, raça e muito mais. Segundo o rapper, a obra foi um “experimento social”. O sucesso teve como desdobramento o projeto multimídia AmarElo Prisma, em 2020, que contou com imagens, textos, vídeos e podcasts.

O projeto contou com a produção do documentário AmarElo Prisma, que mostrou o processo individual e coletivo do artista, que fez uso de 4 pilares para a produção do álbum: paz, clareza, compaixão e coragem. O documentário foi transmitido em 4 partes no YouTube e no Canal GNT, em duas partes.

Além disso, Emicida também ganhou um documentário na Netflix: AmarElo é Tudo Pra Ontem (2020). A obra é uma parceria do streaming com sua marca Lab Fantasma e retrata os bastidores do show realizado no Theatro Municipal de São Paulo. Confira o trailer: