Se tem uma coisa que o público ama são séries, novelas e filmes, não é mesmo? É praticamente impossível esquecer aquela trilha sonora que foi tema de abertura de uma trama marcante ou mesmo de um casal que era adorado nas telinhas. Como hoje, dia 19 de junho, é o Dia do Cinema Nacional, nada melhor do que relembrar algumas canções brasileiras que fizeram sucessos nas produções nacionais.

A música é uma excelente ferramenta para ajudar na produtividade e também para provocar sentimentos nas pessoas. Desse modo, a seguir, confira uma lista com as principais canções da MPB (música popular brasileira) nas produções nacionais.

Continue a leitura!

Relembre as trilhas sonoras de filmes brasileiros mais marcantes, como Lisbela e o Prisioneiro, Orfeu Negro e Dona Flor e seus Dois Maridos
Relembre as trilhas sonoras de filmes brasileiros mais marcantes, como Lisbela e o Prisioneiro, Orfeu Negro e Dona Flor e seus Dois Maridos. | Foto: Divulgação/montagem.

3 trilhas sonoras brasileiras de sucesso

Desde o primeiro filme com a música da história do cinema brasileiro, a comédia “Acabaram-se os Otários” (1929), trouxe o clássico choro “Carinhoso“, de Pixinguinha, essa canção teve um papel essencial na sétima arte nacional.

Sendo a música popular um dos maiores bens culturais do Brasil, seria inevitável que o casamento de nossas melodias com a narrativa cinematográfica rendesse muitos frutos memoráveis. Por isso, esta matéria especial relembra algumas das músicas mais marcantes do cinema brasileiro, de “Orfeu Negro” à “Tropa de Elite”.

Confira algumas trilhas sonoras marcantes:

1.Lisbela e o Prisioneiro –  Caetano Veloso

Dentre as músicas do longa, a que ganhou o maior destaque foi a letra romântica “Você não Me Ensinou a Te Esquecer“, eternizada na voz de Caetano Veloso. Apesar de ter composto centenas de músicas em suas cinco décadas de carreira, a faixa não é da autoria do cantor baiano, mas sim do cantor brega Fernando Mendes, que a escreveu em parceria com o também artista José Wilson:

“Agora, que faço eu da vida sem você? / Você não me ensinou a te esquecer / Você só me ensinou a te querer / E te querendo eu vou tentando te encontrar”

“Vou me perdendo/ Buscando em outros braços seus abraços/ Perdido no vazio de outros passos/ Do abismo que você se retirou e me atirou/ E me deixou aqui sozinho”.

No próximo tópico, confira mais uma trilha sonora marcante do cinema brasileiro.

2. Orfeu Negro – Agostinho dos Santos

Não é exagero afirmar que Orfeu Negro é praticamente tão fundamental para a música brasileira quanto para a sétima arte, pois serviu de vitrine internacional para ambos.

O drama romântico musical é uma adaptação para as produções cinematográficas da peça “Orfeu da Conceição”, de Vinícius de Moraes que, por sua vez, originou-se da mitologia grega para criar sua trama sobre um amor impossível em tempos de Carnaval.

A maior parte da trilha sonora foi desenvolvida pelo poetinha em parceria com Tom Jobim, quando a dupla estava em um dos cenários mais importantes de sua carreira, impulsionada pelos sucessos de “Desafinado“, “Eu sei que vou te amar” e “Chega de Saudade“. 

Além disso, eles colaboraram em diversas canções, como a clássica “A Felicidade“, mas os compositores tiveram constantes brigas com o diretor francês Marcel Camus e não gostaram do resultado final do filme. Sem contar que eles nunca chegaram a receber o capital dos direitos autorais que lhes eram devidos, por conta de uma desonesta estratégia dos produtores do longa.

Para além da canção “A Felicidade”, que abre o Orfeu Negro e tem suma importância na história sobre Orfeu e Eurídice, há no longa-metragem uma canção ainda mais marcante do que a escrita por Tom e Vinícius: o samba-canção “Manhã de Carnaval”.

“Das cordas do meu violão / Que só teu amor procurou / Vem uma voz / Falar dos beijos perdidos / Nos lábios teus”.

Por fim, confira mais um marco na trilha sonora do cinema brasileiro:

3. O que será (abertura) – Simone

Indicado ao prêmio Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, a comédia Dona Flor e Seus Dois Maridos, baseada no romance de Jorge Amado, é uma das criações mais icônicas do cinema nacional, como também geralmente desenvolve uma trilha sonora à altura.

Atendendo ao pedido do cineasta Bruno Barreto, Chico Buarque desenvolveu a canção-tema do filme em três versões: “O Que Será (Abertura)”, “O Que Será (À Flor da Terra)” e “O Que Será (À Flor da Pele)”. 

As faixas tocam nos créditos iniciais, no meio do filme e nos créditos finais e são interpretadas pela cantora Simone (muito antes de “Então é Natal”). Por isso, seria frequente exaltar a profundidade poética da letra de “O Que Será”, visto que ela é assinada por um dos maiores compositores nacionais e internacionais, mas a versão “À Flor da Pele” se destaca no cânone de Chico Buarque como aquela que possui as letras mais emblemáticas:

“O que será, que será? / Que vive nas ideias desses amantes / Que cantam os poetas mais delirantes / Que juram os profetas embriagados”.

Como já vimos,  se tem uma coisa que o público ama são séries, novelas e filmes, por isso, é praticamente impossível tirar da cabeça aquela trilha sonora que foi tema de abertura de uma trama marcante ou mesmo de um casal que era adorado nas telinhas, por exemplo. Sendo assim, é importante relembrar algumas canções brasileiras que fizeram sucessos nas produções nacionais.

A música, como já falamos, é uma excelente ferramenta para ajudar na produtividade e também para provocar sentimentos nas pessoas. Desse modo, esperamos que a lista, com as principais canções da MPB (música popular brasileira) nas produções nacionais, tenha ajudado a relembrar as cenas marcantes dos filmes brasileiros.

E, agora que você sabe o que é trilha sonora, e quais as trilhas sonoras de filmes, você pode verificar alguns filmes que você gosta ou que pensa ser interessante. A Novabrasil oferece essas opções, clique no nosso site e venha conferir!