Hoje, 06 de agosto, seria aniversário de um dos mais importantes nomes da nossa música popular brasileira e um dos maiores representantes da música paulistana, responsável pela composição dos clássicos sambas que tornaram-se verdadeiros hinos e marcaram a história da cidade de São Paulo para sempre: Adoniran Barbosa.

Seu nome verdadeiro era João Rubinato e – quando ele começou sua carreira no rádio, onde representava diversos personagens – deu o nome de Adoniran Barbosa para o mais famoso deles, que ganhou tanta popularidade, que fez com que seu intérprete passasse a utilizá-lo como nome artístico.

Adoniran Barbosa como o personagem Siqueira em cena do filme “A Pensão de Dona Estela” | Foto: @adoniran_oficial/Instagram.

Adoniran Barbosa retratava a vida da capital paulistana

Cantor, compositor, ator e humorista, Adoniran tornou-se um grande cronista musical da vida da capital paulistana, principalmente das camadas populares e dos bairros com famílias de imigrantes italianos,como a dele.

Exímio observador, contava histórias típicas do cotidiano de São Paulo como ninguém, apropriando-se da linguagem popular dos cidadãos paulistanos e retratando seus tipos, costumes, dramas e alegrias, sempre com muito humor e pitadas de crítica social, sobre uma cidade que – apesar de próspera – esconde as mazelas da exclusão social.

Em 1951, depois de muitos anos trabalhando como cantor, ator e animador em programas na rádio, Adoniran Barbosa gravou o seu primeiro disco 78 rpm (rotações por minuto), que conta com a marcha-rancho Os Mimosos do Colibri (de Hervê Clodovil e Osvaldo Moles) e o samba de sua autoria e um dos maiores sucessos de sua carreira, Saudade da Maloca, que em gravações futuras mudou de nome para Saudosa Maloca

Adoniran é compositor de diversos clássicos do samba

Ao longo dos anos, Adoniran compôs e lançou diversos outros clássicos, gravados também por outros grandes nomes da MPB como Elis Regina e Demônios da Garoa, até chegar ao auge do sucesso com a icônica Trem das Onze, em 1964.

Outras de suas principais canções são:

  • Viaduto Santa Efigênia;
  • O Samba do Arnesto (em parceria com Alocim);
  • Tiro Ao Álvaro (parceria com Osvaldo Moles);
  • As Mariposas, Malvina;
  •  Um Samba no Bexiga;
  • Joga a Chave (parceria com Oswaldo França);
  • Acende o Candeeiro;
  • e Bom Dia Tristeza (sua única parceria com o poeta Vinicius de Moraes).

Também participou de mais de 10 filmes como ator.

Em 1982, Adoniran Barbosa nos deixou, vítima de um enfisema pulmonar, aos 72 anos de idade e deixando mais de 90 letras inéditas e um legado imensurável para a história da música popular brasileira, principalmente para o samba paulistano. 

Viva o eterno e saudoso Adoniran Barbosa!