Você com certeza já ouviu falar do grande compositor Cartola, não é? Inclusive, aqui mesmo no site da Novabrasil. As músicas de Cartola tem grande impacto no cenário da música nacional. Saiba aqui tudo o que você precisa saber sobre a história de Cartola, a vida antes de sua carreira começar e as principais músicas do artista!

Cartola cantor marcou a história do MPB com suas composições
Cartola cantor marcou a história do MPB com suas composições. | Foto: Divulgação.

História do Cartola

Cartola (1908-1980) foi um grande compositor e também cantor brasileiro. Um de seus maiores sucessos “As Rosas Não Falam”, que teve música e letra produzidas pelo mesmo e é um clássico do samba, foi escrita quando Cartola tinha 67 anos.

Nascido Agenor de Oliveira, Cartola nasceu no Catete, no estado do Rio de Janeiro, no dia 11 de outubro de 1908, e seus pais se chamavam Sebastião Joaquim de Oliveira e Ada Gomes.

Quando ainda era um menino, Cartola já tinha contato com todas as festividades populares do Rio de Janeiro, quando seus familiares iam desfilar nas comemorações do Dia dos Reis, todos fantasiados e acompanhados por cavaquinho e violão.

Cartola chegou a estudar em diversos grupos escolares, já que sempre acabava sendo expulso por seu mau comportamento, concluindo apenas o curso primário. Quando Cartola tinha apenas onze anos, seus pais se mudaram para o Morro da Mangueira, onde o futuro Cartola compositor criou raízes e começou a presenciar e frequentar a vida boêmia e as famosas rodas de samba, além de já saber tocar o violão e o cavaquinho.

Quando tinha quinze anos, Cartola ficou órfão de mãe, e seu pai Sebastião o mandou tratar de sua vida. Sem nem ter onde dormir, ele ficava pelas madrugadas na boêmia e na malandragem, para poder se sustentar, Cartola se empregou em uma tipografia, porém não ficou por muito tempo, já que não conseguia se adaptar a um serviço em que não podia assobiar ou cantar.

Ele começou o seu trabalho na construção civil, e chegou a aprender a profissão de pedreiro. Durante essa época, ele costumava usar um chapéu-coco, e assim o apelido “Cartola” nasceu.

Sua vizinha de barraco, chamada Deolinda da Conceição, era casada e já tinha uma filha. Sete anos mais velha, ela cuidava muito de Cartola, que tinha 18 anos. Os dois decidiram morar juntos, e Cartola criou a filha de Deolinda como se fosse sua.

Acompanhe a entrevista que Cartola deu a TV Educativa, na década de 70:

Principais músicas do Cartola

 Confira a seguir as principais músicas do Cartola:

O Mundo É Um Moinho

Ela foi composta pelo mesmo em 1976, rapidamente “O Mundo É Um Moinho” se tornou um dos maiores sucessos da carreira do sambista. Ele escreveu essa música para a sua filha adotiva, Creuza Francisca dos Santos, como um alerta a jovem sobre todas as ilusões da vida. Como se Cartola estivesse dando conselhos, ele escreveu lindos versos para tentar fazer com que a garota escolhesse outros rumos em sua vida.

Preciso Me Encontrar

Apesar de essa ser uma das melhores músicas do Cartola como cantor, ele não recebe os créditos por sua composição. “Preciso Me Encontrar” foi escrita pelo sambista e compositor também carioca Antônio Candeia Filho, conhecido apenas como Candeia.

A letra dessa música apresenta um personagem ao ouvinte, que está em busca de viver a vida e aproveitar todo o contato que tiver com a natureza, sendo um andarilho em busca do conhecimento.

As Rosas Não Falam

Cartola tinha 67 anos quando escreveu esse clássico e provavelmente sua música mais conhecida, “As Rosas Não Falam”. Essa música surgiu após um diálogo que teve com sua esposa, que o chamou para ver o jardim. O motivo disso é que, de repente, muitas rosas haviam nascido em seu jardim e ela não entendia o motivo.

Cartola respondeu a sua esposa que não tinha como saber o que aconteceu, já que as rosas não falam. Essa música se tornou uma das músicas brasileiras mais regravadas.

O Sol Nascerá

 “O Sol Nascerá” foi o resultado de uma aposta. Cartola e Elton Medeiros escreveram a canção em questão de minutos após terem sido desafiados por seu amigo Renato Agostini. Logo de improviso, foi criada uma linda música com mensagens de otimismo.

Corra e Olhe o Céu

Essa música é um samba raiz muito conhecido, presente no disco de estreia do Cartola, lançado no ano de 1974. “Corra e Olhe o Céu” foi uma música escrita por Cartola e Dalmo Castello,  e traz um personagem que está à espera de sua linda companheira, cheio de saudade de sua amada.

Que Sejas Bem Feliz

Deixar alguém seguir feliz é um dos maiores símbolos de maturidade. Mesmo que nós estejamos tristes, é necessário deixar as pessoas que amamos serem livres, para que voltem se quiserem. Essa é a mensagem do samba poético de Cartola, que foi incluída no álbum póstumo lançado em 1982.

Amor Proibido

Na música “Amor Proibido”, o sambista fala sobre a sensação de desilusão de ter amado alguém que não deu o devido valor. Essa letra sugere que essa relação foi uma relação proibida, já que ele se envolveu com a mulher de um amigo.

Alvorada

A música “Alvorada” é outra que entra na categoria de melhores músicas do Cartola, tendo uma introdução bem característica do samba, e letra alegre que ressalta as belezas do morro. Ela foi escrita por Cartola, Carlos Cachaça e Hermínio Bello de Carvalho.

Tive Sim

“Tive Sim” é sobre o sentimento de ciúmes, que todos sentem, mas não gostam de assumir. Foi por causa do sentimento de ciúmes por sua mulher que Cartola escreveu “Tive Sim”. A letra é como uma explicação a sua companheira sobre um amor que o sambista teve antes dela.

Sala de Recepção

Apesar de retratar o carnaval, que possui espírito de festa, não foi esse o espírito que a Portela se comportou com o amigo de Cartola, o Paulo da Portela. A Portela proibiu que Paulo desfilasse pelo fato de ter participado do desfile da Mangueira junto com seus amigos.

Cartola não só levou Paulo para morar por um período na Mangueira, como também escreveu o samba “Sala de Recepção”, que foi inspirado nesse acontecimento.

Saiba mais sobre a música brasileira e grandes nomes como Cartola na página da Novabrasil!