26 de outubro é realmente um dia especial para a MPB. Hoje, uma das maiores e mais belas vozes da nossa música faz 79 anos: o grande Milton Nascimento!

Praticamente um patrimônio cultural do nosso país, Milton é um dos maiores artistas do mundo. Exímio compositor, excelente cantor, importante intérprete e multi-instrumentista, Bituca (seu apelido de infância) é reconhecido mundialmente como um dos mais influentes e talentosos artistas de todos os tempos.

A imagem mostra o cantor Milton Nascimento segurando o prêmio do Grammy

Milton Nascimento recebendo Grammy pelo álbum Nascimento / Foto: Agência O Globo

Vencedor de quatro Grammy Latinos e um Grammy Award, suas canções já foram regravadas por quase todos os maiores nomes da MPB, como Elis Regina, Gal Costa, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Chico Buarque, além de grandes nomes internacionais como Sarah Vaughan, Peter Gabriel e Bjork.

Milton influencia e é inspiração para várias gerações de artistas da música brasileira. Considerado pela revista Rolling Stone Brasil como a 10ª maior voz brasileira de todos os tempos e o 20º maior artista brasileiro de todos os tempos, Milton já se apresentou pelo mundo todo, em países da América do Sul e do Norte, da Ásia, África e Europa.

Nascido em uma comunidade do bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, mudou-se para Três Pontas, em Minas Gerais, ainda muito criança, onde considera sua terra natal e pela qual tem muito carinho, sendo um dos maiores representantes da música mineira.

Conviveu com a música de perto, desde muito cedo, e logo desenvolveu seu talento como cantor, compositor e instrumentista. Primeiro em Três Pontas, depois em Belo Horizonte – onde conhece os irmãos Borges e todo o pessoal do Clube da Esquina – e depois conquista o Brasil inteiro e o mundo.

Em 1966, Elis Regina grava a sua música Canção do Sal e é o começo da sua projeção nacional. No ano seguinte, Travessia, sua canção em parceria com Fernando Brant, fica em segundo lugar no II Festival Internacional da Canção, tornando-se – depois – uma das músicas mais conhecidas e gravadas de Milton, no Brasil e no exterior.

Logo após o FIC, Milton grava o seu primeiro disco solo e não para mais de nos presentear com suas letras, sua voz e suas canções.

Capa do Disco Clube da Equina

Capa do Disco “Clube da Esquina” / Imagem: Divulgação

Com o Clube da Esquina e os discos lançado em 1972 e 1978, Milton e outros artistas mineiros formaram um dos maiores e mais importantes movimentos da MPB. Sua sonoridade trazia a fundição das inovações propostas pela Bossa Nova com elementos do jazz, do rock (principalmente dos ingleses The Beatles), da música folclórica, da música regional mineira, erudita e hispânica.

São muitos os grandes clássicos da carreira de Milton, como: Maria, Maria, O Que Foi Feito Devera (De Vera), Canção da América, Caçador de Mim, Paula e Bebeto, Nos Bailes da Vida, Coração de Estudante, Canções e Momentos, Três Pontas, Tudo Que Você Podia Ser, Cais, Nada Será Como Antes, San Vicente Ponta de Areia, Fé Cega, Faca Amolada, Bola de Meia, Bola de Gude, Os Tambores de Minas e tantos outros.

Viva, Bituca! Você é gigante!