Caetano Veloso lança primeiro single de seu novo álbum de inéditas

Por: Novabrasil
20 de setembro de 2021

Caetano Veloso lançou, no último dia 16 de setembro, o primeiro single de Meu Coco, seu novo álbum de inéditas: Anjos Tronchos.

A canção traz uma crítica sobre a nova realidade que vivemos, de um movimento super tecnológico e digital, a era da internet e das redes sociais – um mundo totalmente conectado, cheio de paradoxos e contradições – e sobre a maneira como isso vem moldando a sociedade atual.

Em entrevista, o cantor e compositor baiano contou o que o inspirou a escrever a canção: “Nós vimos coisas horrendas acontecendo na política mundial por causa disso. Mas também vimos coisas bonitas na parte artística se desenvolverem. E aquele esboço de democratização profunda que a internet parecia prometer terminou entregando mais o contrário do que isso.”.

Na letra da canção, Caetano faz referências ao Vale do Silício – centro do desenvolvimento da tecnologia de internet e comunicação virtual, reduto norte-americano de empresas universais de tecnologia que, com o uso de algoritmos, possuem um grande poder de manipulação das massas – e à Primavera Árabe – onda revolucionária de manifestações e protestos que ocorreram no Oriente Médio e no norte da África e que ganhou força graças às redes sociais.

Mas também cita a importância da poesia visionária do concretista Augusto de Campos e da cantora norte-americana Billie Eilish – que aparece como exemplo de uma coisa boa que vem dessa evolução tecnológica, estourando no mundo inteiro quando fazia suas canções no quarto com seu irmão – finalizando a canção com uma mensagem de que, apesar de tudo, a arte mantém-se como nossa salvação, até neste caso.

Caetano traduz as “coisas horrendas acontecendo na política mundial” no impactante verso: “Palhaços líderes brotaram macabros / No império e nos seus vastos quintais / Ao que reveem impérios já milenares / Munidos de controles totais”. Impactante é pouco para descrever a genialidade da obra de arte que Caetano nos apresenta com o novo single.

Em suas redes sociais, o artista declarou: “Anjos Tronchos é uma canção que terminou ficando extremamente densa. Vivemos hoje mergulhados num mar de algoritmos, possibilidades diversas de redes sociais e aparatos tecnológicos que avançam muito depressa.” Em outro post, questionou: “Nós o moldamos ou eles nos moldam?”, referindo-se aos algoritmos.

À densidade da letra e da voz de Caetano somam-se os sons também densos dos sintetizadores de Lucas Nunes – músico que assina a produção musical da faixa junto com Caetano – e os acordes precisos de guitarra de Pedro Sá. Em um determinado momento da canção, Caetano cita uma de suas músicas mais icônicas: Alegria, Alegria, e entra uma breve inserção de um triângulo e uma zabumba, tocados por Pretinho da Serrinha.

O clipe de Anjos Tronchos também já está disponível no canal do artista no Youtube e contou com um “Red Carpet” de pré-lançamento, em que Caetano contou muitos desses detalhes sobre o novo single e o clipe: “O que eu penso sobre tecnologia é uma coisa que varia muito: às vezes eu me irrito, às vezes eu me encanto. Às vezes eu acho enigmático, às vezes eu acho vital.”.

Também em entrevista recente, Caetano revelou que o título do álbum – previsto para ser lançado na íntegra em outubro – já diz tudo sobre o trabalho: “Meu Coco. Ou seja: tudo o que se passa na minha cabeça.”.

Meu Coco é o primeiro álbum de inéditas do artista desde Abraçaço, de 2012. Se tomarmos como base o primeiro single, já sabemos que podemos esperar um álbum histórico.

Para assistir ao clipe de Anjos Tronchos, dê o play:

NOVAS
 
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DESTAQUES | PODCASTS

PUBLICIDADE