Belchior sob o olhar e voz de Ana Cañas

Por: Novabrasil
10 de julho de 2021

Ontem, dia 9 de julho, a cantora e compositora Ana Cañas lançou as quatro primeiras canções do disco Ana Cañas canta Belchior, totalmente dedicado à obra do artista e que será lançado integralmente em setembro deste ano.

Depois do primeiro single – Coração Selvagem  – lançado em maio e que ganhou um videoclipe extremamente sensível e sensual com a participação do ator Lee Taylor, o  EP1 – Ana Cañas canta Belchior foi disponibilizado neste mês em todas as plataformas digitais.

As primeira faixas, com as quais já podemos ter um gostinho da grandiosidade do disco – digno da grandiosidade da poesia genial de Belchior – são: Alucinação, Velha Roupa Colorida, Galos, Noite e Quintais e Na Hora do Almoço. Alucinação também ganhou um clipe em preto e branco, inspirado no filme sueco Persona – Quando Duas Mulheres Pecam, de Ingmar Bergman (1966) e com a participação da atriz Maria Casadevall.

Em suas redes sociais, Ana Cañas contou que gravar as canções de Belchior foi a coisa mais difícil que já fez na vida, musical e artisticamente: “Primeiro porque a idiossincrasia belchiorana atravessa diversas camadas. Entre elas, o sentimento profundo e existencial presente em todas as canções. As letras que são, em sua maioria, gigantes e os versos, bastante assimétricos – alguns pronunciados em velocidade máxima”, disse a cantora.

Ela ainda completou sobre como se sente: “Entrar numa cabine para colocar voz em canções já registradas magistralmente por, Elis Regina, por exemplo, (…) foi realmente assustador. Me reconheço intérprete, sempre regravei canções de outros compositores em meus discos, mas isso foi alucinante e me deu medo. Medo real de ficar muito aquém. Medo de não conseguir. Medo da ousadia em si. Mas tudo que nos paralisa também nos movimenta enormemente se soubermos respirar e transpor. (…) Se eu não sentisse essa vertigem penso que não seria digna nem de cantá-lo.”

Quanto a isso, Ana pode ficar tranquila e sentir-se com a missão cumprida. A competência e excepcionalidade com que executa suas belas versões não deixam NADA a desejar e nos mostram, mais uma vez, como a cantora e compositora deve ser considerada um dos maiores talentos da nova geração da música popular brasileira.

Sua voz e interpretação, ao mesmo tempo firme e suave, pulsante e delicada – como Belchior – é capaz de nos cortar como faca e nos abraçar e beijar bem devagar, que é pra termos tempo de nos apaixonar, tudo ao mesmo tempo e agora.

Belchior deve estar orgulhoso do seu talento e personalidade, Ana. E, se escutasse o EP (quem sabe não escutou?), provavelmente diria que é um “sujeito de sorte”, por ter você como intérprete de sua obra. Afinal, a você e a ele, amar e mudar as coisas interessa mais.

Pra quem perdeu, ontem chamamos a Ana Cañas para um papo no Instagram da rádio no intervalo do programa Radar. Márcio e Juliana falaram com ela sobre o lançamento e planos. Dá pra conferir o papo aqui:

 

Noticias
 
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DESTAQUES | PODCASTS

PUBLICIDADE