Os Filhos dos Caras

3 de agosto de 2017Notas Musicais

0s”Os Filhos dos Caras” é uma homenagem dos filhos a música e a seus pais, reunindo no mesmo palco os herdeiros dos maiores ídolos brasileiros. Reunidos, Wilson Simoninha, Jair Oliveira e Léo Maia mostram um pouco do seu repertório próprio e acompanhados por um quinteto, resgatam seu DNA interpretando os grandes clássicos de Wilson Simonal, Jair Rodrigues e Tim Maia.

 

Confira abaixo a entrevista exclusiva para a NOVABRASIL FM:

 

 

NB: Como surgiu a ideia de montar o show “Os Filhos dos Caras”?

Wilson Simoninha:  “Os Filhos dos Caras” é um projeto que a gente começou a uns 2 anos atrás pelo Brasil. Um projeto que, além de nós três, ainda contava com a Luciana Mello (irmã do Jair Oliveira) e Max de Castro (que é meu irmão). Eram shows separados, eram temporadas. Assim o Jair fazia um show, o Léo fazia um show, eu fazia um show, Max fazia um show e Luciana fazia um show. Quando acabou essa turnê, a gente teve a vontade e a ideia de juntar os três em um espetáculo só e fazer um grande espetáculo com isso. Aí já fizemos em Salvador (no Teatro Castro Alves), já fizemos em Ilhabela, já fizemos no Rio de Janeiro, agora vamos fazer em São Paulo e depois seguimos para Porto Alegre.

 

NB: Como está sendo a receptividade do público?

Wilson Simoninha: As pessoas têm se encantado com essa energia, essa coisa bacana de juntar em um show só o Jair Rodrigues, o Tim Maia e o Simonal e pra gente é muito bacana juntar em um palco só porque somos amigos e não fica uma coisa de um dia um show de um e outro dia o show de outro… Não! Na brincadeira tá todo mundo junto no palco e, claro, mostrando seu trabalho, mas tendo esses encontros no palco.

Jair Oliveira: Esse show, como eles já disseram aqui, tem essa coisa da alegria, da festa, que pautou as carreiras de Jair Rodrigues, Wilson Simonal e Tim Maia e pauta as nossas carreiras também. É essa coisa da alegria, da festa, da energia… então as pessoas podem esperar muita energia, muita emoção, muita música conhecida.

 

NB: Vocês escolheram juntos o repertório?

Léo Maia: Na verdade repertório não escolhemos… estamos sempre na situação do mutante. cada lugar tem um certo charme e aí de repente aquela canção… (pelo menos eu sinto isso). Gostaria dessa ao invés daquela… Então isso é legal, é livre e a gente toca isso tudo desde criança, fica suave.

 

NB: Qual foi a influência dos pais nas carreiras de vocês?

Jair Oliveira: Meu pai influenciou muito a minha carreira e a minha vida, porque não só o legado musical que ele deixou (assim também como Tim Maia e Simonal), Jair Rodrigues deixou também pra mim um legado de humildade, de alegria, de vontade de viver. Então isso influencia como eu encaro a vida, como eu encaro a música e eu tenho trazido todas essas coisas que ele deixou como legado também na minha música.

Léo Maia: Fora a riqueza musical que a família nos dá de presente, a família Oliveira rola um som super maneiro e o Simoninha aqui… esse master da gentileza e do amor e carinho… é isso, eu sou grato por poder fazer parte dessa história musical e humildemente poder ser filho do Seu Sebastião Rodrigues Maia, entregador de marmita e que virou um dos maiores cantores do país… pra mim é um orgulho poder celebrar em um momento legal, com pessoas legais que enobrecem a arte e eu fico feliz.

Wilson Simoninha: É… eu acho que eles falaram muito bem, o recado está dado. Além de aprender com meu pai, com o dia a dia, com a intimidade, entendendo e vendo a relação dele com a música (que eu acho que essa foi a maior lição que eu tive na vida) eu também aprendi e aprendo muito com os pais do Léo e do Jair que também são artistas que eu sempre admirei. Então tive sempre a oportunidade de, nos momentos em que a gente estava junto, eu estava ali aprendendo também.

 

Voltar