Perfil do Artista

Claudio ZoliNascido em São Gonçalo, Rio de Janeiro, Claudio Zoli desde pequeno demonstrou interesse pela música.

Passou boa parte de sua infância ouvindo importantes artistas da música black como Marvin Gaye, Stevie Wonder e Tim Maia.

Influenciado por Paulinho, um instrumentista que na época tocava com Tim Maia e Cassiano, iniciou sua carreira aos 16 anos. Vale lembrar que Cassiano foi um grande influenciador em sua carreira.

Em 1980, Paulo Zdanowski, parceiro de Cassiano, se interessou em montar um grupo e junto com o baixista Arnaldo Brandão e Zoli formou a banda Brylho. Eles tocavam em bares e bailes pelas noites do Rio de Janeiro (RJ). Em pouco tempo a banda já havia estourado nacionalmente com o soul-reggae “Noite do prazer”.

Cinco anos mais tarde, Brylho chegou ao fim e, no ano seguinte, Zoli apostou na carreira solo como compositor, marcando o cenário da música com as canções “À francesa”, gravada por Marina Lima; e “Felicidade urgente” interpretada por Elba Ramalho.

Seu primeiro disco foi lançado em 1986 e foi batizado com seu próprio nome. Nele, continha os sucessos “Cada um, cada um (Namoradeira)” e “Coleção”, ambas de autoria de Cassiano. O segundo álbum veio dois anos mais tarde. Entre as canções de sucesso estavam “What’s going on” de Marvin Gaye, transformada em “Não foi em vão”, e “Azul da cor do mar”, de Tim Maia.

Em 1991 lançou “Fetiche”, ao mesmo tempo em que fazia parte de outros projetos, como a participação no álbum de João Marcelo Bôscoli.

Ainda durante os anos 1990, Claudio Zoli chegou a se juntar a Ritchie e Vinícius Cantuária na banda Tigres de Bengala, mas não obteve repercussão.

Depois de 6 longos anos sem nenhum contrato de gravadora voltou em 1999 com o álbum “Férias”, editado pela Trama.

Em 2001 lançou “Na Pista”, um disco com pegada dançante. Ele trazia as canções como “Flor do futuro” e “Livre pra viver”, além das conhecidas “À francesa” e “Noite do prazer”.

Um ano depois, chegou com o disco “Remixado e ao Vivo”, lançado em 2002. Este foi um projeto que conteria apenas o material do show. No entanto, foi transformado num disco com remixes inéditos e exclusivos de DJs das mais famosas pistas de dança. O resultado foi um álbum diferente, com apenas algumas faixas ao vivo, que não foram exatamente as mesmas do DVD lançado logo após. Em Remixado e ao Vivo não faltou dois grandes sucessos, como “À francesa” e “Noite do prazer”.

Nesse embalo Zoli divulgou mais três trabalhos: Sem Limite no Paraíso, lançado em 2003; Zoli Clube, de 2005 e Diamante – 25 Anos De Carreira, de 2009.

Após cinco anos sem lançar um disco de inéditas, Claudio Zoli vem com um novo trabalho que considera ser um divisor de águas em sua carreira. Intitulado “Amar Amanhecer”, o novo álbum é totalmente inédito e autoral, revela também o lado produtor e arranjador musical do artista.  “Amar Amanhecer” está disponível no ITUNES, SPOTIFY, DEEZER E RDIO e a edição em CD está à venda nas principais megastores do Brasil como, Livrarias Cultura, Saraiva, Fnac, Curitiba e Travessa.

O disco possui elementos baseados em suas raízes musicais, que vão do soul ao jazz, além de sua tradicional pegada dançante soul. Com inspirações românticas, o CD é embalado por deliciosas bossas e balanços.

Celebração à natureza e amor correspondido são temáticas do disco. Zoli revela estar vivendo um momento muito especial e cabe a nós, ouvintes, conferir o resultado, já com a certeza de que as faixas têm tudo para virar trilha sonora do próximo verão.

 

Referência: Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira e Wikipédia

Discografia: (2009) Diamante – 25 Anos De Carreira (2005) Zoli Clube (2003) Remixado e ao vivo (2003) Sem limites no paraíso (2001) Na pista (2000) Tributo a Tim Maia (1999) Férias (1993) Tigres de Bengala (1991) Fetiche (1988) Cláudio Zoli (1986) Cláudio Zoli (1983) Brylho